A MENINA QUE BRINCAVA COM FOGO de Stieg Larsson


A revista Millennium está prestes a lançar a bomba mais explosiva já publicada na Suécia sobre o tráfico de mulheres – um escândalo de grandes proporções incluindo figurões do cenário policial, jornalístico e judiciário. Pouco antes da edição vir à luz, porém, os dois autores das denúncias são mortos a tiros. E essa não é a única má notícia que Mikael Blomkvist, editor-chefe da Millennium, tem de enfrentar: segundo a policia, a principal suspeita dos homicídios é sua amiga, Lisbeth Salander.

Lisbeth ajudou-o na investigação de outro caso intrincado, e salvou sua vida. Dotada de memória fotográfica e incrível habilidade em cálculos matemáticos e com computadores – inclusive para invadir sistemas alheios – , ela carrega um misterioso trauma juvenil. Tudo indica que esse trauma, na esteira do qual foi condenada à internação psiquiátrica aos doze anos e julgada juridicamente incompetente aos dezoito, pode ter ligação com os acontecimentos atuais. Procurada e acusada à revelia por três assassinatos, a moça desaparece, enquanto a polícia sueca monta uma megaoperação para caçá-la e a mídia apresenta o caso com o costumeiro sensacionalismo. Mas não será fácil apanhá-la. Menos do que uma vítima indefesa ou, como a imprenssa marrom a descreve, uma assassina desequilibrada, Lisbeth age como um anjo vingador, castigando os pecadores com fúria implacável. Mikael quer encontrá-la antes de todos. Ele sabe que, se provocada ou ameaçada, ela pode atacar – com resultados imprevisíveis.

Segundo volume da trilogia Millennium – um dos maiores sucessos da Suécia e de inúmeros países nos últimos anos – , A Menina que Brincava com fogo seduz pela trama movimentada e pelo conjunto de personagens secundários, presente tanto no lado dos bons quanto no lado dos maus (embora essa fronteira seja bastante tênue nos romances de Larsson).


“Larsson é o grande noir da Suécia e Lisbeth Salander, uma heroína diferente de todas as outras. O clímax é um festim sangrento.” The Times




Um livro simplesmente fantástico! Gosto muito do jeito como Larsson narra sua história. Ele é muito natural, nem um pouco carregado e, assim, o texto flui gostoso e fácil de acompanhar. Adorei reencontrar Lisbeth e Mikael e Erika e conhecer novos personagens como Dag e Mia e Sonja Modig e Bublanski e Paolo Roberto (esse é sensacional).

Dag é um reporter freelancer que está escrevendo um livro polêmico sobre tráfico de mulheres. Ele é companheiro de Mia, cuja tese de doutorado em criminalística se foca na exploração sexual de mulheres. Eles fizeram a pesquisa juntos, mas cada um explora um lado do problema. Dag quer que a Millennium publique seu livro e apresenta a idéia à Erika e Mikael. Então fica decidido se fazer um número temático da revista com o tema tráfico de mulheres para coincidir com o lançamento do livro. Livro esse que será polêmico pois trará nomes de autoridades judiciárias e policiais e de jornalistas que usam desse serviço acompanhado de depoimentos das mulheres.

Faltando pouco tempo para a publicação do número temático e entrega do manuscrito original, Dag e Mia são assassinados a tiros no apartamento onde moravam. Também é encontrado morto, em seu apartamento, o advogado Nils Bjurman – tutor de Lisbeth Salander. Qual a ligação entre esses crimes? Quais as provas e conclusões da polícia?

Lisbeth passa a ser suspeita das mortes e a polícia monta o cerco para prendê-la. Acontece que ela não é uma mulher fácil de ser localizada e é muito mais inteligente do que seus perseguidores. Larsson mantém o suspense e mostra os diversos aspectos da investigação. Não vou falar muito para não estragar as surpresas.

O final foi de tirar o fôlego e já me deixou super ansiosa pelo terceiro volume. Espero que o lancem ainda esse ano.

Um pouquinho de Lisbeth:

Lisbeth Salander ficou plantada na calçada em frente à imobiliária Nobel uns bons minutos. Perguntava-se o que Joakim Persson iria achar se ela jogasse um coquetel Molotov na vitrine. Então, voltou para casa e ligou o PowerBook.

Levou dez minutos para piratear a rede interna da Nobel graças as códigos de acesso que ela observara distraidamente quando a mulher de trás do balcão se conectara para baixar as fotos. Levou mais três minutos para perceber que o computador da mulher era também o servidor da empresa – será possível ser tão burro? – e outros três para ter acesso aos catorze computadores que compunham a rede. Em pouco mais de duas horas, esmiuçara a contabilidade de Joakim Persson e constatou que ele sonegara ao fisco perto de setecentos e cinquenta mil coroas nos últimos dois anos.

Baixou todos os arquivos indispensáveis e os reuniu num pacote coerente, que enviou por e-mail para o Tesouro Público usando o endereço anônimo de um fornecedor de acesso americano. Feito isso, expulsou Joakim Persson do pensamento.

(tudo isso por que esse Joakim a tratou como imbecil quando ela foi procurar um apartamento para comprar…)

12 comentários:

Livros de Bia disse...

Oi Regina!
Pelo que eu li da sua resenha, esse livro sem dúvida parece muito diferente. Gostei muito do enredo...

Valeu a dica!

Bjs

Dani disse...

Hummm... Mal posso esperar... tem um mês que li o livro 1 e devorei em 3 dias, estou tentando me segurar na leitura desse 2º volume até que saia o 3º, mas tá difícil... É realmente um pena que o autor tenha morrido tão cedo...

Danika disse...

Regina, desculpa usar os comments do seu post, mas resolvi avisar vcs que o Submarino está com ótimos livros a 14,50 cada (entre eles os 3 do Ken Follett que custam entre R$ 60 e 80 cada). As brumas de Avalon tbém, os 4 livros por menos de R$ 50 (o preço normal é mais de R$ 170,00). Vale conferir. Aproveitei a compra e comprei o vol 2 da Série Millenium tbém.=)

Regina disse...

Bia e Dani

Sou suspeita, pois adorei os livros, mas acho que vale a pena ler essa trilogia. O enredo é bem diferente mesmo e os personagens são cativantes.

Danika,

Obrigada pela dica! Vou dar uma olhada nas promoções.
Depois diz o que achou da série Millennium...

bjs

Regina

Driza disse...

Oi Rê
Adorei o trecho e sua observação ao final do mesmo. Impagável!
Que história!
bjs

Lili disse...

Estou vendo só avaliações positivas em relação a esse autor. E a sua opinião tem um peso muito maior para mim. Não sei se é o meu tipo de leitura, mas vou colocá-lo na lista!!
Bjssss
Lili

Jeanne Rodrigues disse...

Rê,

Colocando mais esse na listinha.
Quero conhecer a Lisbeth.

Bjos,

Patricia Cardoso disse...

Regina,

romance policial é o gênero que mais gosto de ler, e com sua recomendação então, não poderei deixar de ler esta trilogia.

Beijos,

Paty

Vivi disse...

Então, Rê...
Já virei fã só pelos seus comentários. Tá valendo? Bem, como não sou bocó, já comprei o primeiro da série. Depois te conto!

Beijos

karyne disse...

Re!!

Meninas morram de inveja.
a Re me conta dos livros durante o começo, e o fim. todos os dias.....
eu sou sortuda.............
Te adoruuuuuuuu flor.
bjs
karyne

GueGue disse...

Oi, sabe se da pra baixar esse livro da internet?? to procurando há dias e não acho! Se tiver um link, me passa por favor!
Obrigada!

Marcia disse...

Olá, Regina

Acabei de ler esse livro, e essa séria realmente é muito boa. Não consegui deixar a leitura de lado enquanto não vi o fim do livro (que aliás só me deixou mais ansiosa pelo terceiro volume)...
Desculpe deixar um comentário somente agora, mas não consigo acompanhar vocês. São tantas indicações, que a minha lista de próximas leituras é enorme.

Abs,

Marcia

Ps: Tô morrendo de inveja de você, que já começou a ler o livro da Diana Gabaldon...rsrsrs

Postar um comentário

Muito legal ter você aqui no nosso Chá das Cinco!
Quer deixar um recadinho, comentário, sugestão?
Faça valer a sua opinião! Seja educado(a). Gentileza aqui sempre tem vez. Portanto, mensagens ofensivas não serão publicadas.

 
UM LIVRO NO CHÁ DAS CINCO © 2010 | Designed by Chica Blogger. Personalized by Lili and Medéia| Back to top