Testemunha Mortal – J. D. Robb

capa testemunha mortal Sinopse: Neste décimo livro da série, "Testemunha Mortal", já transformados no casal mais querido pelo público leitor, Eve e Roarke enfrentam um assassino corajoso e audaz, que não hesita em cometer um crime diante de milhares de pessoas, escondido pelo jogo de espelhos de um palco de teatro.

--*--

Eu deveria ser imparcial. Comentar sobre a excelente autora e a boa história, mas cansei da fórmula, do mau humor da Eve, do bam bam bam Roarke e sendo assim, foi penoso ler esse livro.

Na verdade li até a metade, pedi a uma amiga que já o tinha lido que me contasse o restante, e voltei a ler só o último capítulo.

Todos os livros da série Mortal são iguais. J. D. Robb, que todo mundo sabe que na verdade é a Nora Roberts, altera somente o motivo do crime, como foi cometido e, evidentemente, o assassino. No restante, leu um, leu todos.

A Eve tem sempre os mesmos pesadelos com o pai; sempre rejeitando a imprensa; não gosta de se arrumar; está sempre deixando aquele casaco horroroso sobre a escada só para implicar com o mordomo Summerset, que diga-se de passagem, é um amor; pressionando os legistas para examinarem logo o corpo da vítima do crime que ela está investigando, como se só o caso dela fosse importante; o auto-chef serve café ruim, só o Roarke tem café de verdade; o carro da central de polícia não combina com a mansão de Roarke... Aliás esse Roarke pode ser bonitão, sensual e tal, mas dono de toda a galáxia! Menos né...

Tem outros personagens saídos... sei lá de onde! Dra. Mira: por onde ela viaja quando começa a dialogar com a Eve? Ah, já sei! Aquele chá que ela toma toda vez que tem visita da Eve deve estar batizado. Mavis: não sei nem que aparência ela tem, fora os gritos estridentes de suas músicas que é sempre o mesmo, o resto é totalmente mutante. E aquele detetive que vive comendo amendoim? Faz sei lá quantos livros que ele está vivendo disso.

E vamos combinar, ainda que existisse um Roarke, ele iria se apaixonar justamente pela Eve? Descabelada, mal vestida, chata, arrogante, implicante, mandona... E o palavreado então? Horrível! Sinta só o drama, ela discutindo com Peabody: ...fique em pé então. Não daria mesmo para sentar com esse cabo de vassoura espetado no rabo. O mesmo cabo de vassoura que você enfia na bunda toda vez que o assunto...

Aliás, para mim a tenente Peabody é que se assemelha de mais humano na série. A única personagem digamos... normalzinha.

E a culpa é de quem? Resposta: Nora Roberts! Sim, a mesma que nos faz suspirar com inúmeros romances e personagens lindos. A mesma que entranha na gente a vontade de estar naquele romance, de ser aquela apaixonada mocinha, de estar com aquele TDB mocinho.

É. Esse negócio de J. D. Robb mexeu mesmo com a cabeça dela. Quer outro exemplo do modo como ela escreveu essa história? Então se segura que lá vai: ...Eve salvou logo um donut para si mesma antes que a equipe toda pulasse em cima deles com a fúria de hienas sobre carne em decomposição... Bah, que comparação mais grotesca.

J. D. Robb, saia desse corpo que não te pertence! Quero minha autora preferida de volta, no seu melhor jeito de escrever, criando aquele amor melado, aquele casal cute-cute, quero aquela descrição doce de jardins e pastagens, que saudade de seus personagens exuberantes, quero me apaixonar por eles.

Você que gosta (e sei de muita gente que gosta, amigas próximas até), me perdoe, pois posso até ter exagerado. Não que as histórias sejam totalmente ruins, são apenas muito repetitivas tornando-se assim irritantes. Pra mim chega! Mortal... J. D. Robb... não mais!

16 comentários:

Vivi Bastos disse...

Driza, como estou nos primórdios da série não posso dizer como me comportarei no futuro. O que posso dizer é que tenho um pé atrás com séries muito longas por conta do desgate que, inevitavelmente, as acometem.

Enfim, você tem todo o direito de expressar as vantagens e as desvantagens de se ler um livro. Afinal, esse é um dos melhores benefícios da leitura. Portanto, não se desfaça dele jamais.

Beijos

Driza disse...

Oi Vivi,
Quase não publiquei, não quero magoar ninguém. Pensei muito na Dri Paula por exemplo, que já disse que amou o livro. Mas eu precisava expurgar a irritação que tomou conta de mim.
Mas ainda amo Nora Roberts, viu povo!!
Só estou lançando mão dessa série.

bjs

Aline disse...

Série Mortal é engraçada... Quando você diz que não gosta, aparecem várias pessoas que dizem que também não curtem! Eu sou uma que detesta... E olha que eu li 05 livros! E cada dia descubro mais motivos para evitá-la...

Regina disse...

Só li os dois primeiros livros e a Eve não me convenceu como apaixonada por Roarke. Não li os outros não por não ter gostado, mas simplesmente por não me atraírem tanto. Qdo tiver mais tempo disponível, com certeza voltarei a série.

Mas gostei de seu comentário! Diferentes pontos de vista são sempre muito válidos.

bjs

Regina

Dee disse...

Até pensei que o post fosse da Aline; subi a página pra conferir... Mas aí me toquei que ela não chegaria tão longe. :D

Sei lá, eu gosto da história, mas isso pode ser porque eu gosto do gênero. O.o Acho que nunca tinha parado pra pensar que é sempre a mesma coisa.

Jeanne Rodrigues disse...

Driza,

Vc relatou o que sinto ao ler a Série Mortal.
Tudo tão repetitivo que fica sem graça.
Tô cansada do Roarke ser dono de tudo, da Eve nao se arrumar e ainda ser a mulher da vida dele.
E por isso há tempos não leio nada dessa série.

Assino embaixo do seu post, apesar de saber que há grandes amigas que amam essa série.

Bjos,

Débora Lauton disse...

Nossa Driza, você tirou as palavras da minha boca, a Nora Roberts é minha autora favorita, mas sinto falta dos romance melados...
Parabéns pelo post...

Débora

Anônimo disse...

Olá, Driza

Olha como as coisas são engraçadas... acabei de ler esse livro e por acaso resolvi ver se tinha algum comentário sobre ele aqui no Chá.
Apesar de ser uma grande fã da autora, concordo com você que já está na hora de encerrar essa série. A minha impressão é que tudo de interessante aconteceu nos primeiros livros, principalmente o romance entre os protagonistas. Você não acha que poderia ter um pouco mais de conflito entre eles? Dois mundos tão diferentes se ajustando tão rápido assim?!!
Terminei esse livro sem aquela sensação de quero mais, o que é muito frustante...
O próximo livro com certeza vai ficar no final da fila.

Marcia

Driza disse...

Oi Márcia,

obrigada pela visita.
Assino em baixo nas suas palavras. Parabéns pela colocação.

bjs

Driza

Laurennn disse...

Gente, justamente porque não é um romance melado que a Nora preferiu escrever com um pseudônimo! É um tipo de livro diferente, tudo bem que a gente sabe que é da mesma autora, mas não é porque ela escreve romance açucarados que não pode escrever outro tipo de história. Eu particularmente adoro a série mortal, apesar de também achar que esta meio repetitivo,e me irritar um pouquinho com o Roarke (acho ele mto metido, sempre querendo se meter nos casos dela)mas enfim... eu entendo que são livros bem diferentes dos 'normais' da Nora, mas gosto mesmo assim, principalmente do que tu chama de 'palavreado horrível' haha acho que da um tom engraçado a história.
(Desculpem qualquer coisa,e o atraso, esse post é de fevereiro! encontrei o blog agora, ma já coloquei nos favoritos. Adorei!)

Driza disse...

Oi Laurennn

seja bem vinda e sinta-se a vontade para comentar sempre que quiser.

bjk

Driza

Fernanda disse...

Oi Driza, tb conheci o chá das cinco somente por esses dias e queria deixar postado aqui minha opnião sobre a série mortal. Vc tem razão no que diz a respeito da mesmice, no 4 capitulo ja da pra descobrir quem é o criminoso da vez, MAS mesmo assim eu amo essa serie já li os 12 livros lançados aqui no Brasil,re-li e continuo amando da mesma forma. Eve é uma grande policial inteligente, esperta, sagaz e Roarke a ama exatamente por ela não ser futil e ficar se preocupando somente com roupas, cabelo coisas q nós mulheres nos preocupamos...estou ansiosa aguardando a próxima publicação kkkkkkk beijinhos a todas e todos ... Nanda

Driza disse...

Oi Fernanda,

tá dado o seu recado.
Obrigada pela visita e continue participando com a gente.

bjão

Master Neurotic disse...

Bem, eu acabei de ler lealdade mortal que por sinal foi o livro com mais cenas de sexo que já vi - e todos relativamente tediosos [kind of, como eles ainda não enjoaram de fazer isso?? Eles nem sempre ficam muito tempo juntos e quando ficam estão transando ¬¬

Anyway, eu já estava travando em Conspiração, imagine em Lealdade... O negócio é dar um intervalo relativamente longo de um livro para outro XD

Agora os primeiros livros foram mágicos para mim. Realmente amei eles.

Por enquanto a série Mortal é a única coisa que consigo ler de Nora Roberts, nunca consegui engolir os romances dela que não me cativam.

Ket K.R disse...

Que engraçado como funcionam os gostos. Eu lí todos os 17 e quero mais!

Raquel disse...

Até que enfim alguem concorda que esses livros são repetitivos! são muito bons, mas se ler 02, já sabe como são todos eles, li o um e o cinco (Nudez e Cerimonia mortal), e já sei tudo o que aconteceu nos outros, de 02 a 04, e percebi que os próximos estão na mesma, nada mudando entre os protagonistas! parabens pelo post, a propósito, meu blog é: http://deadsoulslivros.blogspot.com.br/p/alice-luconi-nassif-horas-ou-momentos.html, visite quando puder.
bjs

Postar um comentário

Muito legal ter você aqui no nosso Chá das Cinco!
Quer deixar um recadinho, comentário, sugestão?
Faça valer a sua opinião! Seja educado(a). Gentileza aqui sempre tem vez. Portanto, mensagens ofensivas não serão publicadas.

 
UM LIVRO NO CHÁ DAS CINCO © 2010 | Designed by Chica Blogger. Personalized by Lili and Medéia| Back to top