Fomos Longe Demais

A esposa e a filha de Sam Starrett estão desaparecidas. Alyssa tem 48 horas para descobrir o assassino. Max tem nas mãos um caso que ameaça a soberania nacional. Ele é um terrorista procurado no mundo todo...mas a maior dificuldade para o Fantasma é eliminar uma família que ameaça revelar sua identidade. Todos eles são capazes de matar por amor ou dinheiro, e ir longe demais.
***

Apesar de uma sinopse curta, o livro é repleto de aventuras, intrigas militares e tensões sexuais, que criam uma atmosfera totalmente particular e intensa.
Fomos Longe Demais se caracteriza com uma estrutura rítmica forte e bastante atual, onde, progressivamente, vão acrescentando a sua trama novos elementos e personagens.

O livro na verdade faz parte de uma série chamanda Troubleshooters. Nos EUA acabou de ser lançado o seu 13º livro e como não podia ser diferente de como estamos habituados, aqui no Brasil só saiu dois livros desta série. Mas compensando, os livros são totalmente independentes, o leitor pode ler fora da sequência sem problemas. Outro detalhe, que não deixa de ser interessante, é que em cada livro o leitor irá encontrar personagens secundários que em livros posteriores serão os seus próprios protagonistas. Talvez seja realmente interessante para quem gosta do gênero acompanhar a sequência da série, assim não perderá nenhum detalhe...

Particularmente achei o livro razoável. Posso considerá-lo como um ótimo passa-tempo. Mas não é o meu tipo de leitura. Se você ligar a tv encontrará ingredientes totalmente parecidos em filmes ou séries de ação. Fiquei com a sensação como se estivesse vendo um filme. Talvez seja algo positivo para quem gosta de diálogos práticos e espontâneos. Mas, para mim faltou algo, talvez mais profundidade e um enredo mais interessante... Um outro pormenor, que na verdade me dava nos nervos, era a boca suja do protagonista. Totalmente desprovido de palavras doces, a narrativa do protagonista chega em determinados momentos a agredir a nossa mente com tantas palavras de baixo calão, nada condizentes a minha forma de ser.

Os personagens mais interessantes para mim foram Gina e Max. Que já tiveram a sua importância no livro Tensão Máxima, que até onde eu compreendi, Gina tinha sido sequestrada por terroristas em um avião. E foi brutalmente violentada pelos bandidos e Max (comandante oficial do caso) presenciou a terrível violência sem poder fazer absolutamente nada. As consequências daquela brutal violência deixou-os com várias cicatrizes e estava realmente muito interessante acompanhar sua história. Mas, infelizmente a autora deixou sua continuidade para um outro livro... provavelmente sendo eles os protagonistas principais.

***

6 comentários:

Driza disse...

Romance policial, com mais de policial do que de romântico realmente não me apetece...

bjs

Aline disse...

Já li outro livro da mesma autora, o Tensão Máxima. Não gostei. A forma de linguagem, a maneira de ser dos personagens, a história, nada me agradou. Não fiquei empolgada para ler esse do blog...

Vivi Bastos disse...

Eu aprecio muitos policiais sendo da linha romântica ou não, desde que tenham um bom enredo e que, acima de tudo, maneje bem os recursos que instiguem o suspense e o mistério.
Não conhecia essa autora...
Para falar a verdade, existe uma tendência de autoras de romance trabalhando nos domínios dos romances policiais. A polivalência é bem vinda. Só acho que não são todas as autoras de romance que conseguem sair bem no gênero. Escrever romance policial é bem mais complicado. Linhas tênues devem ser observadas para não se enredar em lugares comuns ou pisar na bola pelo excesso. Eis minha opinião.

Regina disse...

Essa é uma autora muito comentada em grupos de que participo e é sempre muito elogiada - inclusive por outras autoras (a J.R.Ward, por exemplo, se declara fã incondicional dela). Eu particularmente nunca li nada dela, e sempre tive muita curiosidade em ler, mas exatamente por ser uma série e, aqui no Brasil isso não parecer importar muito, nunca fui atrás. Quanto à linguagem, creio ser para dar mais realismo, apesar de que exageros nunca é muito bom.
Tinha a impressão de que era mais uma série militar - ou de ex-militares que são seguranças particulares - do que policial.Pelo menos ouvi falar algo sobre isso.

bjs

Liliane Cristine disse...

Oi Rê, acho que na sequência do livro deve ser o mais ou menos o que vc sugeriu. Mais nesse especificamente conceituo mais como policial. Já que a protagonista trabalha para a FBI e junto com o protagonista ex-militar_ tentam desvendar o que aconteceu com a sua ex-mulher e filha.
Realmente em se tratando de ação o livro é muito bom. Mas, não faz muito minha cabeça. E os palavrões realmente foram um exagero. Em cada frase o mocinho dizia um à dois de uma vez só...

Bjs
Lili

Jeanne Rodrigues disse...

Eu não sou mto fã de romances policiais.

E seu comentário só veio a reforçar...

Postar um comentário

Muito legal ter você aqui no nosso Chá das Cinco!
Quer deixar um recadinho, comentário, sugestão?
Faça valer a sua opinião! Seja educado(a). Gentileza aqui sempre tem vez. Portanto, mensagens ofensivas não serão publicadas.

 
UM LIVRO NO CHÁ DAS CINCO © 2010 | Designed by Chica Blogger. Personalized by Lili and Medéia| Back to top