Heresia de S.J. Parris


Inglaterra, 1583: o país enfrenta um período conturbado, marcado por conspirações para derrubar a rainha Elizabeth, que é protestante. Muitos de seus súditos estão insatisfeitos com o governo e anseiam pelo retorno do país à religião católica.
Em meio a esse clima de conflitos religiosos, o monge italiano Giordano Bruno chega a Londres, tentando escapar da Inquisição, que o acusou de heresia por sua crença num Universo heliocêntrico. O filósofo, cientista e estudioso de magia logo é recrutado pelo chefe do serviço de espionagem real e enviado a Oxford.
Oficialmente, ele vai participar de um debate sobre as teorias de Copérnico, mas, em sigilo, deve se infiltrar na rede clandestina dos católicos e descobrir o que puder sobre um complô para derrubar a rainha. No entanto, quando um dos membros mais antigos de Oxford é brutalmente assassinado, a missão secreta do filósofo é desviada de seu curso.
Enquanto ele tenta desvendar o crime, outro homem é morto e Giordano Bruno se vê envolvido numa sinistra perseguição. Alguém parece estar determinado a executar uma sofisticada vingança em nome da religião. Mas, afinal, de qual religião?
À procura de pistas, o monge percorre os labirintos da biblioteca de Oxford e visita tabernas infames e livrarias misteriosas fora dos muros da universidade, chegando a lugares que ele nunca soube que existiam e fazendo descobertas que poderiam ameaçar a estabilidade da Inglaterra.
Envolvido em uma rede de intrigas e traição, ele percebe que às vezes nem mesmo os mais sábios conseguem discernir a verdade da heresia. Alguns, no entanto, estão dispostos a matar para defender suas crenças.
Baseado em fatos reais da vida de Giordano Bruno, Heresia exigiu uma pesquisa minuciosa da autora, que investigou a fundo a trajetória do monge e o contexto político e religioso da época em que ele viveu. O resultado é um suspense histórico repleto de reviravoltas surpreendentes.

Ao ver esse resumo fiquei super curiosa para ler o livro e descobrir mais sobre a história. E posso dizer que a viagem foi intrigante - se bem que um pouco cansativa… Achei a narrativa lenta demais, mas o bom era que a história e personagens são cativantes e assim, no final, foi uma leitura proveitosa! Se você gosta de livros com ritmo alucinante, esse talvez não seja indicado a você. Mas se você gosta de um mistério e adora ficar procurando pistas para descobrir o assassino… então está no lugar certo!

Só tinha ouvido falar em Giordano Bruno nas aulas de história, geografia e ciências quando se estuda os movimentos da terra e dos astros. Vê-lo como um personagem em um livro de mistério, e ainda por cima como narrador, foi uma descoberta realmente gostosa.

Achei que Giordano Bruno estava muito além de seu próprio tempo! As teorias e teologia que ele defendia eram muito próximas do que temos hoje e não é de se admirar que ele tenha sido perseguido pela Inquisição. Eu fiquei particularmente chocada por ele ter aceitado ser um espião da coroa inglesa e ir contra sua própria fé, mas como ele tinha sido excomungado e era taxado de herege não era de todo surpreendente.

No começo o livro me lembrou muito O Nome da Rosa, de Umberto Eco, principalmente pelo clima medieval e pelas bibliotecas e Inquisição e mortes suspeitas, mas a história de Eco se prende mais ao mistério de um livro, enquanto Heresia se prende mais à busca do assassino e em se entender a causa dos crimes e na divisão religiosa entre católicos e protestantes. E é esse fator que torna possível vencer a lentidão inicial da narrativa e nos faz empreender na continuidade da leitura: quem é o assassino e qual é seu plano?

Giordano é um personagem fascinante, mas confesso que cai de amores por Cobbett, o idoso porteiro do Colégio onde Bruno ficou hospedado em Oxford. Ele pode parecer um tanto sonso e distraído, mas é astuto como uma raposa e foi de grande ajuda ao Dr. Bruno durante a investigação! Giordano como detetive não desaponta. Ele é perspicaz e é rápido para ligar os fatos. Claro que sem entender a dinâmica do local, principalmente por Oxford ser uma comunidade muito fechada e ele ser estrangeiro – e considerado papista, ainda por cima, ele demora um pouco a compreender todas as nuances e não sabe quem é amigo ou inimigo. Isso o leva a tomar algumas decisões equivocadas e que o colocam em perigo de vida.

A história tem muitas reviravoltas e surpresas e achei interessante o questionamento entre a sapiência de se misturar religião e estado e o que isso exige das pessoas. Os perigos em se professar sua fé abertamente – ou em segredo – e o que cada um está disposto a fazer por esse direito.

Creio que a autora foi muito feliz em levantar essas questões e ao mesmo tempo conseguir manter o mistério da trama e o charme de personagens e fatos históricos misturado com a ficção. O tempo todo eu me perguntava: será que essa pessoa existiu? Será que isso aconteceu? Cheguei mesmo a pesquisar um ou outro personagem no google. Um ponto muito favorável ao livro.

14 comentários:

Sandra Portugal disse...

Agradeço a dica!
bjs Sandra
http://projetandopessoas.blogspot.com//

RUDYNALVA disse...

Regina!
Gostei já da sinopse e deppois de ler a sua resenha, gostei ainda mais.
Gosto dessa temática questionadora.
Muito obrigada.
cheirinhos
Rudy

Mariane Braga disse...

Olá! Sou seguidora do seu blog e meu blog mudou para um novo endereço: http://blogcognicao.blogspot.com/



Obrigada, abraços!

Camila C. disse...

Adorei! Amo amo amo amo História, misturada com mistério em um livro acaba unindo tudo que eu mais gosto! Acho que vou comprá-lo :]

Beijo!

Denise disse...

parece ser bom, tãoo falando bem dele.

Lilian disse...

Oi Regina!

Eu estava curiosa pra ler sua opinião sobre esse livro, porque eu tb li e postei a minha resenha esses dias lá no Cafofo. Achei também que a narrativa lenta deixou a leitura um tanto cansativa. Mas eu queria saber quem era o assassino e por isso eu continuei, rs... Bom, acho que nossas impressões foram similares. Que bom que não sou só eu a pensar assim!

Bjs!

Patricia Cardoso disse...

Olá Rê,

este ano li alguns livros bem lentos, então, vou colocar este no fim da lista, mas, quero lê-lo, pois, gosto muito de livros em que os personagens são baseados em fatos reais. Ótimo post. Bjs...

Driza disse...

Oi Rê,

não gosto muito de livros lentos, mas adoro um mistério! Então me pareceu um livro bom e deu vontade de ler.

bjsss

Jeanne Rodrigues disse...

Rê,

se tiver mto parado, sempre é possivel passar algumas paginas e depois retornar..risos...

Gosto mto de livros históricos, tá pra mim.

Bjos,

Aline disse...

Regina,

Adoro livros históricos! Esse livro atiçou a vontade de ler.
Resenha instigante!

Bjs

Meus blogs - Fernanda Rocha disse...

Não me pergunte porque mas adoro livros que se passem na Inglaterra...este além de contar um pouco sobre a Inglaterra ainda tem uma capa ao mesmo tempo linda e misteriosa... ;)

MARIA SENA disse...

COMECEI A Lê-LO MAS ACHEI UM POUCO CANSATIVO COMO VOCÊ DISSE...VOU EM FRENTE QUEM SABE ME SURPREENDO!!!!

MARIA SENA disse...

Oi, não é bem um comentário, mas uma informação, estou tentando me tornar seguidora do blog de vcs mas não consigo, a área seguidores aparece totalmente em branco, não visualizo os seguidores e ne o botão seguir. EStá com algum problema no blog? meu e-mail é mariasena2009@hotmail.com.

OBG!

Patricia Cardoso disse...

Olá Rê,

li o livro, e passei por aqui pra agradecer a dica. Gostei muito do livro, com todos os questionamentos pertinentes à época, e com um suspense muito bom, que me prendeu até o final, e claro me surpreendeu. Um beijão!

Postar um comentário

Muito legal ter você aqui no nosso Chá das Cinco!
Quer deixar um recadinho, comentário, sugestão?
Faça valer a sua opinião! Seja educado(a). Gentileza aqui sempre tem vez. Portanto, mensagens ofensivas não serão publicadas.

 
UM LIVRO NO CHÁ DAS CINCO © 2010 | Designed by Chica Blogger. Personalized by Lili and Medéia| Back to top