Frankenstein, O Filho Pródigo - Dean Koontz


Deucalião é um homem truculento e silencioso, cheio de cicatrizes, que preserva um terrível segredo guardado há séculos. Na sombria Nova Orleans, ele será a chave para deter um assassino em série que elege suas vítimas segundo um critério o bizarro.

O multimilionário Victor Hélio esconde nos porões de sua fábrica um moderníssimo laboratório de pesquisas genéticas no qual trabalha dia e noite tentando criar o protótipo de uma raça superior. Duzentos anos atrás, uma experiência macabra com pedaços de corpos de criminosos dera vida a uma criatura assombrosa, com uma força descomunal, que acabaria por renegar o próprio criador. Entre a frustração insuperável pela perda do filho e a ambição de dominar o mundo, Victor Hélio constrói passo a passo o seu exército de seres mutantes – seres que na visão de Hélio, são desprovidos de alma e de inteligência. Da pior forma possível, ele descobrirá que esteve enganado o tempo todo.

O charme deste eletrizante romance policial é garantido pela dupla de investigadores Carson O`Connor e Michael Maddison. Ela, endurecida pela experiência de quem perdeu o pai na mesma profissão que escolheu e precisa zelar pela vida do irmão autista. Ele, acostumado a enfrentar o dia a dia da divisão de Homicídios com uma pitada de bom humor e uma sensibilidade incomum. O´Connor e Maddison têm poucas horas para deter o psicopata que elimina vítimas aparentemente sem nenhuma relação entre si. Ajudados pelo gigante Deucalião, os dois investigadores descerão ao inferno para tentar salvar a própria pele e impedir que a humanidade seja escravizada aos poucos por uma mente perversa.







Uma história instigante e que levanta vários questionamentos e sentimentos durante a leitura. Não é um simples livro policial – como eu erroneamente pensei – mas uma história que traz, além da parte policial, toda uma metalinguagem e um mistério que vai além das fronteiras de nossa imaginação.

Eu não li o livro Frankenstein original – de Mary Shelley – mas vi um documentário certa vez em que se comentava que a história representava o Homem tentando brincar de Deus. A partir do momento em que Victor cria o Monstro – ele passa a ser o deus da criatura! E há todo o aspecto moral de se mexer com as leis naturais e subvertê-las.

Dean Koontz consegue transportar esse conflito de forma magnífica para essa história! Victor Hélio é o próprio Victor Frankenstein – vivo há mais de 200 anos e ainda pesquisando e transgredindo e desrespeitando a natureza! Agora ele vem criando um exército de seres - o qual chama de Nova Raça – e tem planos muito tenebrosos para eles.

O livro traz capítulos curtos e o leitor se sente como que montando um grande quebra-cabeça, pois o autor vai apresentando os personagens e ações de forma dinâmica, aguçando a curiosidade e fazendo com se fique imaginando para onde ele está nos conduzindo.

O casal de detetives – Carson e Michael – tem muita química e é do tipo “eles se amam, mas fazem de conta que nada está acontecendo entre eles” o que faz o virar das páginas para ver a interação entre eles seja algo prazeroso. Michael tem um senso de humor fantástico e me peguei rindo muito com ele.

E Deucalião! Que personagem fantástico! Logo que começa a história vemos que ele é um homem muito sofrido e com uma história de dor e busca e crescimento pessoal muito grande! Um personagem realmente marcante!

Dean Koontz nos mostra vários personagens – Randal 6, Erika 4, entre outros seres criados por Victor – e, através deles, e da forma como interagem com o mundo que os cerca, vamos percebendo que Hélio não está tão no controle quanto imagina. Vemos que, por mais cuidados e salvaguardas que ele cria e implanta nos seres da Nova Raça; o meio, o anseio de ser mais do que se é, a crise de identidade em se ver como um ser sem alma, tudo influencia e faz com que esses seres questionem a si mesmos e ao Pai que os criou.

E é aqui que entra a metalinguagem que falei, pois um dos grandes responsáveis pelos questionamentos são os livros! A leitura edifica e faz com que os anseios e sentimentos interfiram na programação de Victor! Adoro quando vemos o livro como algo transformador, como algo que ajuda a pessoa a crescer, a se questionar, a se transformar. E Dean Koontz realmente consegue passar essa ideia muito bem.

Foi meu primeiro livro desse autor e acho que ele merece ser observado bem de perto! Gostei do estilo e ele me cativou com essa história. E, quando fui colocar o livro em minha estante no Goodreads, vi que era o primeiro de uma série! Imagine minha alegria de série maníaca ao descobrir isso! Pesquisei no Fantastic Fiction e descobri o seguinte:

Series contributed to

Dean Koontz's Frankenstein
1. Prodigal Son (2005) (with Kevin J Anderson) – Brasil, 2010, Ed. Prumo
2. City of Night (2005) (with Ed Gorman)
3. Dead and Alive (2009)
4. Lost Souls (2010)
5. The Dead Town (2011)

Espero que a Prumo continue com a publicação da série no Brasil, pois é uma história realmente fantástica!

9 comentários:

Jeanne Rodrigues disse...

Rê,

Estava aguardando essa sua resenha, pois desde que vi a sinopse desse livro me interessei.

Mais uma série???

Endosso e peço tbm a Prumo que continue com a sequencia.

Bjos,



PS: adorei

Driza disse...

Oi Rê,

caprichou no post heim, parabéns!

Eu quero!

bjss

Medéia disse...

Ó Meu Deus... mais uma série... eh eh eh
E abordando meu tema preferido: sobrenatural!
E para completar com referência a um clássico do terror: Frankenstein.
Eu tava de olho na capa do livro ali na mesa do chá faz tempo.
Agora vai para minha lista de leitura, com certeza e aguardando o lançamento da sequência.
Rê, demais!!!
Bjos

Simone disse...

Sou super fã de sobrenatural, espero poder ler esse livro tbm, mas por enquanto outras séries me atormentam!!! kkkkk
valeu pela dica!
xeru!

Patricia Cardoso disse...

Olá Rê,

amei o seu post. Eu leio os livros do Dean koontz há muitos anos, e sou fã de carteirinha deste autor. Acho a forma que ele escreve muito criativa, e até hoje nunca me decepcionei ao ler um livro dele. Este livro já estava na minha lista de desejos, agora vou correr pra lê-lo. Beijos...

Juliana Vianna disse...

Argh.. não acredito que deixei esse livro passar! Adorei demais a sua resenha! Quero muito ler este livro agora, ele entrou com tudo pra lista! hahah

Beijos, Ju

Alinne Lopez disse...

Que interessante...
Outro livro sobrenatural, com mistério e suspense.
Ai ai ai quero muito ler!

Celly Borges disse...

Mais um livro que está na lista dos super desejados! E melhor ainda sendo série! Parabéns pela resenha super completa e convidativa.

Leia Frankenstein, é um dos melhores que já li! =)

Vamos trocar links? Vou colocar o seu no Mundo de Fantas.

^.^

Heloisa Nogueira disse...

Adorei demais a sua resenha. Achei muito interessante. Anotei.

Beijos.

Postar um comentário

Muito legal ter você aqui no nosso Chá das Cinco!
Quer deixar um recadinho, comentário, sugestão?
Faça valer a sua opinião! Seja educado(a). Gentileza aqui sempre tem vez. Portanto, mensagens ofensivas não serão publicadas.

 
UM LIVRO NO CHÁ DAS CINCO © 2010 | Designed by Chica Blogger. Personalized by Lili and Medéia| Back to top