Desafio Literário - Junho

Trecho do livro: AOS MEUS AMIGOS de Maria Adelaide Amaral


“- Sinto saudade do tempo em que a gente era amigo.

- Eu também. Tenho saudade das piadas idiotas, da vida de todos passada a limpo, daquela espécie de adolescência revivida do afeto que nos unia, da família que éramos. Quando nos separamos, eu perdi a família. Nós temos que ficar juntos. Nós que apesar de todas as diferenças nos queremos tanto, por tudo o que vivemos, pela cumplicidade que muitas vezes não é verbal, mas que se expressa na nossa afetividade, na agressão, no carinho que temo uns pelos outros, que é o carinho pela nossa juventude, nós não podemos romper, nos afastar.

- Que grande teatro! O que será que o Leo diria tudo isso?”


Este romance parte de um suicídio: o de Leo, e seus amigos reúnem-se para velar o corpo e tentar manter viva sua memória. Este reencontro mobilizará a retomada da “velha turma” que vivera intensamente os ideais da esquerda nos anos da ditadura militar brasileira (1964-1985). E tem como mote a amizade. A amizade, porém, se aqui rima com "fraternidade e solidariedade" (nas próprias palavras da autora), não rima necessariamente com felicidade.

Em torno do cadáver de Leo, que poderia ser o que quisesse, mas não sobreviveu a angustia, se juntam personagens que têm em comum a geração e a insatisfação com as respectivas vidas. Esta história é baseada em fatos reais da vida da autora, se articula em torno de um leito de morte. Na verdade, de um leito de suicídio, o do escritor e publicitário Leo (inspirado em Décio Bar, amigo da escritora, a quem o romance é dedicado).

Um livro baseado em diálogos, mais do que em descrições, onde os problemas, dinâmicas familiares, profissionais, sexuais e afetivas dos personagens nos remetem a uma crise de geração, em que os sonhos foram frustrados e não há esperança de uma vida diferente.

Achei o livro interessante, mas, faltou me cativar pelos personagens, os achei altamente frustrados, e isso me dava uma grande agonia, claro que num velório, todos estariam tristes, mas, eles estão tristes com as suas vidas e em certos momentos até esquecem porque se reuniram.



5 comentários:

Cíntia Mara disse...

Tenho vontade de ler esse livro.
Bjos

Laura Schwartz disse...

Hmmm, me parece um pouco deprê, mesmo que seja no sentido de lembranças dos velhos tempos, reencontrar a turma, etc.

Driza disse...

Nunca li nada dessa autora, ato falho meu! Sei que ela é bem aclamada aqui no Brasil.
bjsss

Beli disse...

Já li comentários bem parecidos a respeito desse livro... deve ser uma leitura bem triste mesmo!
A autora é ótima, mas ler livros assim, às vezes, só nos arrasta para baixo...

Vivi disse...

Oiê! Assim, a história não me encantou quando em versão televisiva. Personagens são tudo em uma história...como uma história pode ser cativante se seus personagens não o são? Sabe aquela sensação de que estou sentindo que não vou gostar?...rs

Beijocas

Postar um comentário

Muito legal ter você aqui no nosso Chá das Cinco!
Quer deixar um recadinho, comentário, sugestão?
Faça valer a sua opinião! Seja educado(a). Gentileza aqui sempre tem vez. Portanto, mensagens ofensivas não serão publicadas.

 
UM LIVRO NO CHÁ DAS CINCO © 2010 | Designed by Chica Blogger. Personalized by Lili and Medéia| Back to top