Desafio literário - Abril

Livro de escritor(a) latino-americano

Memória de minhas putas tristes – Gabriel García Márquez (Record)

capa memorias de minhas putas tristes Sinopse: 'No ano que completei noventa anos, quis presentear-me com uma noite de amor louco com uma adolescente virgem'. E é assim, sem rodeios, que Gabriel García Márquez nos apresenta a história deste velho jornalista que escolhe a luxúria para provar a si mesmo, e ao mundo, que está vivo. Primeira obra de ficção do autor colombiano em dez anos, Memória de Minhas Putas Tristes desfia as lembranças de vida desse inesquecível e solitário personagem em mais um vigoroso livro de Gabriel García Márquez. O leitor irá acompanhar as aventuras sexuais deste senhor, narrador dessas memórias, que vai viver cerca de cem anos de solidão embotado e embrutecido, escrevendo crônicas e resenhas maçantes para um jornal provinciano, dando aulas de gramática para alunos tão sem horizontes quanto ele, e, acima de tudo, perambulando de bordel em bordel, dormindo com mulheres descartáveis, até chegar, enfim, a esta inesperada e surpreendente história de amor.

Eu escolhi este livro porque... estava curiosa, confesso, com o título. Sim, isso mesmo! Por conta daquela palavrinha tida como um “palavrão”.

A leitura foi... Cativante por demais.

Nota: 5/5

Minha opinião: Nunca tinha lido um título desse autor, mesmo sabendo o quanto é aclamado em toda América latina, quiçá, no mundo. Quando vi na lista de temas a proposta de um autor latino, esse livro logo me veio a cabeça.

Foi uma leitura adorável. Rápida por conta de suas poucas páginas, porém o conteúdo é riquíssimo em acontecimentos e boa escrita. Afinal, não adianta um livro ter 600 páginas se vai contar uma história vazia. Nesse livro realmente isso não acontece.

A história é um pouco sem-vergonha, sim! Afinal, um homem de 90 anos contando suas aventuras sexuais e se apaixonando por uma adolescente não é uma coisa comum de se ler, mas de todos os pontos, o mais positivo é justamente o fato de o autor descrever as cenas sem apelar para o chocante. É só a rotina de senhor em questão. É só a vida que ele escolheu para viver.

Além do que a história é carregada de outros sentimentos e entre eles está o mais nobre: o amor! E, assim, até lágrimas surgem nos olhos. É só mergulhar na mensagem do livro! Que tal se permitir?

9 comentários:

Débora Lauton disse...

Eu não gostei muito do Amor nos tempos do cólera... acho que ainda vai demorar um bom tempo para que eu tente ler algo do autor...
Mas fico feliz por você ter gostado... acho que esse foi o autor mais lido do desafio esse mês...

beijos,
Dé...

Nanda disse...

Ei Driza,

Eu amooo Gabriel Garcia Marques, este eu ainda não li mas Cem Anos de Solidão é muitooo bom e Um amor nos tempos de cólera tbm.

Quero ler este tbm :)

bjo

Sora Seishin disse...

Do Gabriel Garcia Marquez só li Cem Anos de Solidão, que é muito bom! confesso que o título desse Memória de minhas putas tristes me deixou curiosa...

Anônimo disse...

Driza parabéns pelo post!
Eu li Memória de minhas putas tristes e gostei muito da história.
Foi como vc disse uma leitura rápida e agradável.
Beijos
0:-) Angélica

Vivi disse...

Driza, é mesmo? Quero ler esse livro então pois gosto muito do autor e de seu estilo de escrita.

Beijos

Adriana disse...

Driza!

Li Memórias muito tempo atrás, muito bom, com um enfoque muito diferente....você sabia que ele foi inspirado na obra do escritor japonês Yasunari Kawabata, A Casa das Belas Adormecidas?

Eu li primeiro a Casa, e aí lí Memórias. A temática da velhice é muito bem tramada em ambos!

Parabéns pela resenha!

Driza disse...

Queridas amigas,

obrigada pelos comentários.

muitos bjs

Jeanne Rodrigues disse...

Driza,

Não li nada do autor.

Esse livro sempre me chamou atenção pelo titulo e agora com a sua resenha,vou tentar ler.

Se bem que o tema nao faz mto meu estilo.

Mas com sua aprovação,tentarei...

Bjos,

nany disse...

No geral o que posso dizer é que gostei da obra, apesar de ter ido com muita sede ao pote e não ter sido saciada. Pensava encontrar algo mais estupendo, não no âmbito erótico, mas em conteúdo, em significância. Acho q a obra em alguns momentos foi vaga, tipo: teve momentos da narrativa bastante irrelevante, dando a impressão de que o autor estava enchendo linguiça. Digamos que se eu fosse atribuir uma nota para essa obra específica, atribuiria 8, e para o autor 10. :-D Pow fico até sem jeito de criticar dessa forma a obra de um autor tão aclamado, mas quero que fique claro q não estou criticando-o como autor no geral, e sim tentando dizer q essa obra especificamente não foi a sua melhor; talvez Márquez não deu o seu melhor ao escrevê-la. Foi boa e rica, mas poderia ter sido muito mais, pela capacidade do autor.

Postar um comentário

Muito legal ter você aqui no nosso Chá das Cinco!
Quer deixar um recadinho, comentário, sugestão?
Faça valer a sua opinião! Seja educado(a). Gentileza aqui sempre tem vez. Portanto, mensagens ofensivas não serão publicadas.

 
UM LIVRO NO CHÁ DAS CINCO © 2010 | Designed by Chica Blogger. Personalized by Lili and Medéia| Back to top