DEPOIS QUE VOCÊ FOI EMBORA de Maggie O`Farrel


Alice Raikes acaba de tomar um trem na estação de King`s Cross, na capital inglesa. Seu destino é Edimburgo, aonde vai encontrar as irmãs.

Assim que desembarca, ela presencia uma estranha cena, algo que a deixa perplexa, como se olhasse no espelho e não reconhecesse o próprio rosto. Desesperada, diz adeus à família e sobe no trem de volta ao ponto de partida.

Algumas horas mais tarde, as irmãs recebem um breve telefonema: Alice está em coma, vítima de um atropelamento.

O que – ou quem – Alice viu na capital escocesa que a fez voltar tão depressa? Houve mesmo um acidente ou ela tentou se matar? O que a família, em vigília ao lado de sua cama, tem a esconder?

À medida que o tempo transcorre, os segredos e as angústias dos Raikes vêm à tona. No asséptico ambiente hospitalar, Alice experimenta diferentes níveis de consciência, ouvindo conversas à sua volta e resgatando as lembranças de um amor que partiu.

Considerada uma das grandes vozes da nova literatura britânica, Maggie O`Farrell demonstra grande maturidade neste romance de estréia. Abordando temas comuns a todas as famílias, em suas diversas nuances, Depois que você foi embora nos dá a certeza de que estamos diante de um escritora de primeira grandeza.




Maggie O`Farrell consegue transmitir emoções. O livro tem muito disso: emoções. Logo no começo, quando vemos Alice pela primeira vez, sentimos sua tristeza, percebemos que ela está apática e muito, muito triste. Sentimos isso pela forma como ela descreve sua aparência, suas ações, seu jeito. Isso já nos deixa curiosos: o que aconteceu com ela? Por que ela está assim?

O livro não tem uma narrativa linear. Depois do acidente (narrado no resumo) o livro vai da infância de Alice, para a infância da mãe dela – Ann –, volta para o presente com ela no hospital e assim vai. Me senti como se estivesse diante de um grande quebra cabeças e fosse juntando as peças para poder ver o todo. Uma narrativa interessante, mas que às vezes cansa.

Os personagens são fascinantes. Destaco John que é maravilhoso! O modo como ele e Alice se relacionavam, o carinho, os diálogos – tudo muito lindo e real. O sofrimento e as alegrias por que passaram tudo muito bem descritos. Sofri e amei junto com eles. Ann e Elspeth (mãe a avó de Alice) também mostram bem o relacionamento nora/sogra. As alfinetadas, os segredos, a inveja. Ann é uma mulher fria, egoísta. Senti raiva e pena dela ao mesmo tempo. Elspeth, por sua vez, era uma mulher cheia de vida, amorosa, esperta, mas também sabia ser má.

Conforme a história vai se desdobrando a nossa frente, o suspense vai aumentando e as emoções crescendo. E como disse, Maggie consegue nos prender e passar essas emoções muito bem.

Um único senão é que muitas tramas ficaram em aberto e isso me deixou frustrada, realmente frustrada. Sem falar que no final O`Farrell também não foi muito feliz – pelo menos na minha opinião. Adoro finais inesperados e surpreendentes, mas me senti roubada com esse.

7 comentários:

Pati Beatriz disse...

Este livro já estava na minha listinha de livros para ler. Não conheço esta autora, e por isso ficava na dúvida sobre sua leitura. Mas agora com o seu comentário vou dar um "up" para ele na minha listinha.

Livros de Bia disse...

Também gosto muito de finais inesperados e muitas vezes me decepciono com um livro inteiro por conta disso!

Mas valeu a dica de qq maneira!

Bjs

Bia

Livros de Bia

Driza disse...

Eu com certeza leria esse livro só pela sinopse, que é no mínimo intrigante. O coment da Rê reforçou a curiosidade.

bjs

Driza

Vivi disse...

Também fiquei curiosa apesar da menção as tramas em aberto que também não aprecio, dependendo da estrutura da trama.No mais, parece-me bem tocante. Valeu a dica!

Jeanne Rodrigues disse...

Rê,

Seu comentário veio reforçar...
Não vou ler..risos...
Ainda bem que tenho amigas que são sinceras...

Bjos,

Naru-Chan disse...

Bom, eu li esse livro o ano passado e apesar de muito bom ele realmente é bem depressivo. Pra quem gosta desse tipo de leitura recomendo "Uma vida Interrompida" da Alice Sebolt, ele é realmente muito bom!

Da mesma autora de "O pacto", tratando de um assunto igualmente interessante, recomendo "Uma questão de fé" o livro que conta a história de uma garotinha que depois de pegar seu pai e a amante no flagra ao voltar para casa com sua mãe começa a enxergar um 'fantasma' que logo se suspeita ser Jesus, tento inclusive os estigmas... é realmente bem lgl =)

Thata disse...

Tenho que dizer: gostei da capa. Sei que é bem lisa, sem muitos detalhes, mas são daqueles que nos faz refletir sobre o que a pessoa da capa olha, do que será que ela está pensando...


BJS

Postar um comentário

Muito legal ter você aqui no nosso Chá das Cinco!
Quer deixar um recadinho, comentário, sugestão?
Faça valer a sua opinião! Seja educado(a). Gentileza aqui sempre tem vez. Portanto, mensagens ofensivas não serão publicadas.

 
UM LIVRO NO CHÁ DAS CINCO © 2010 | Designed by Chica Blogger. Personalized by Lili and Medéia| Back to top