THE HOLLOW de Nora Roberts


Para Fox, Caleb, Gage e os outros moradores de Hawkins Hollow o numero sete anuncia a destruição – desde que, quando garotos, eles libertaram um demônio preso por séculos no momento em que misturaram seus sangues na Pedra Pagã…

O inocente ritual de união que fizeram resultou em sete dias de loucura a cada sete anos. E agora, com o temido sétimo mês se aproximando, os homens sentem a tempestade se formando. Já agora são atormentados por visões de morte e destruição. Mas esse ano eles estão melhor preparados, pois três mulheres que chegaram a Hollow se uniram a eles na batalha. Layla, Quinn e Cybil estão, de alguma maneira, conectadas ao demônio, assim como os homens estão conectados com a força que o prendeu.

Desde aquele fatídico dia na floresta, o advogado Fox tem sido capaz de “ler” às mentes dos outros, um talento que compartilha com Layla. Ele tem de conseguir a confiança dela, pois o elo que os une ajudará na luta contra a escuridão que ameaça engolir a cidade. Mas Layla está com problemas para aceitar sua recém descoberta habilidade – e com ela, a íntima conexão com Fox. Ela sabe que, assim que abrir sua mente, ela não terá defesas contra o desejo que ameaça consumir aos dois…


Nesse segundo livro vemos a aproximação entre Layla e Fox. E a continuação das descobertas e pesquisas em como se enfrentar o demônio.

Quando os meninos libertaram o mal, eles ficaram diferentes. Eles se curam rápido, mas não sem dor ou sofrimento. Se quebram um braço, sentem a dor do osso se emendando, se é queimadura, passam pelo processo doloroso da regeneração. Tudo isso é uma arma para ajudá-los a combater o demônio. Além disso, cada um tem um dom: Cal consegue ver o que aconteceu no passado. Fox sente o presente, o que está acontecendo e Gage tem vislumbres do futuro. As mulheres compartilham esse poder e quando eles se unem, ficam mais fortes.

Layla tem dificuldades em aceitar esse dom. Ela acha que é uma intromissão, que ler o que as outras pessoas sentem e pensam é invasão de privacidade. Mas seu maior medo é se abrir para Fox. Ela é super organizada e tem ajudado muito na pesquisa e detalhamento das ações tomadas pelo grupo. Apesar de ter dificuldades em aceitar e entender o que está acontecendo – principalmente por não ter ligação anterior com nenhum dos outros membros do grupo – ela não foge da luta e enfrenta tudo com muita coragem e determinação.

Fox é um personagem maravilhoso. Vindo de uma família de hippies, ele aprendeu desde cedo responsabilidade e respeito. Seus pais têm uma fazenda onde criaram seus filhos de forma amorosa e aberta. Jo e Brian são um casal verdadeiramente belo. A única coisa que Fox não segue é o vegetarianismo e a vida saudável. Ele acorda e abre uma coca cola – sua fonte de cafeína. Ama fast food. Mas, fora isso, é um filho devotado e um amigo leal.

Estou gostando do modo como Nora, apesar de focalizar sobre o casal principal, mostra o grupo como um todo. As descobertas, as interações, os sustos e ataques que o demônio faz ao grupo são interessantes e assutadores. A tensão vai crescendo e se encaminhando para o tudo ou o nada que terá lugar no livro final da trilogia – The Pagan Stone.

8 comentários:

Paulinha* disse...

- como eu disse, AMO Nora!!!

Marcia disse...

Olá, Regina

Ainda não conhecia essa trilogia da Nora Roberts, mas pelos seus comentários, ela deve ser muito boa...
Pelo jeito, ela ainda não foi lançada aqui no Brasil, não é? Eu estou vendo que vou ter que voltar para as minhas aulas de inglês.
Você já leu a "Trilogia da Mágia"? Aqui a autora inverte os papeis, e são as heroinas que possuem algum tipo de poder... Eu já li, e gostei muito (na verdade sou fã das trilogias da Nora, li quase todas).
Bjs,
Marcia

Lili disse...

Rê obrigada por compartilhar essas maravilhas que infelizmente não chegam por aqui =/
Mas fica anotado para quem sabe um dia termos por aqui publicados...

bjs e adorei sua opinião :)
Lili

Aline disse...

Regina,
Muito interessantes os dois livros. Estou ansiosa pela conclusão da história. Nora foi extremamente criativa nessa trilogia. Fugiu do convencional.
Obrigada pela indicação!

Vivi Bastos disse...

Hmmmm...livrinho dos bons esse parece ser. Nora 1001 utilidades, versátil, a moça. Série de sucesso, sem dúvida.

Beijos

Regina disse...

Meninas,

Essa foi minha primeira trilogia da Nora! Gostei muito da experiência, tanto é que já comecei a ler a Trilogia da Fraternidade (tão bem recomendada por aqui).

Realmente achei que esse tema não é muito convencional. E o modo como ela escreveu, nossa! via as cenas se desenrolando como num filme - as imagens que ela passava bem vívidas. Já estava até fazendo o casting na minha mente rsrsrsrsrs.

bjs

Cida Souza disse...

Dificil não ficar ansiosa pelo lançamento no Brasil... paciência!
Tenho todas as trilogias da Nora publicadas no Brasil... Recentemente li a trilogia das Chaves, é maravilhoso semelhante a trilogia do sete, encotrei num site de Portugal e baixei.

Abraços!

Cida Souza.

Jeanne Rodrigues disse...

Rê,

por se tratar da Nora e do sucesso que ela vem fazendo por aqui, acredito que o $$$$ falará mais alto...
Alguem deve publicar...

Bjos,

Postar um comentário

Muito legal ter você aqui no nosso Chá das Cinco!
Quer deixar um recadinho, comentário, sugestão?
Faça valer a sua opinião! Seja educado(a). Gentileza aqui sempre tem vez. Portanto, mensagens ofensivas não serão publicadas.

 
UM LIVRO NO CHÁ DAS CINCO © 2010 | Designed by Chica Blogger. Personalized by Lili and Medéia| Back to top