Amor em minúscula

"Na última noite do ano, Samuel, um professor, tem a certeza de que os 365 dias seguintes não serão muito diferentes daqueles que passaram - milhares de provas a corrigir e aulas a preparar. Em sua rotina, a atividade mais emocionante é a ida ao supermercado. No entanto, para não romper com a tradição, Samuel não se opõe às usuais 12 uvas e à taça de champanhe para celebrar o ano-novo. Na manhã do novo ano, ao se levantar bem cedo, o professor está convencido de que nada de insólito irá lhe acontecer. No entanto, um estranho ruído o leva até a entrada do apartamento. Ali, à soleira da porta, encontra-se um pequeno visitante. Com menos de um palmo de altura e dono de pêlos tigrados, um gato saúda com um miado musical o novo amigo. Porém, o que Samuel não imaginava era que aquela visita seria o começo de uma incrível transformação em sua vida. Disposto a não abandonar o novo dono, Mishima (nome recebido em homenagem a um velho escritor japonês) leva Samuel a conhecer Titus, vizinho com quem jamais trocara palavra, e o enigmático Valdemar. Desses dois encontros nasce uma curiosa e terna amizade que, como num passe de mágica, é responsável pelo reencontro do solitário professor com a misteriosa Gabriela... depois de trinta anos. Pela primeira vez em sua vida, Samuel tem a oportunidade de viver intensamente os pequenos acontecimentos cotidianos. Escrito pelo espanhol Francesc Miralles, Amor em minúscula é uma delicada e terna história de amor e amizade, que vai comover o leitor e revelar os pequenos segredos de uma vida plena. "

Confesso que, ao receber meu exemplar pelo correio, acreditei que o livro não seria tudo isso que me comentaram. Ledo engano. Nunca julgue um livro pelo tanto de páginas, ou pelo tamanho da letra, ou pela capa despretensiosa! Vivendo e aprendendo...

Amor em Minúscula foi uma surpresa a cada página, pois, acompanhando a vida de Samuel renascer, somos também passageiros de um livro que nos leva a viajar pela lua, pelos livros, pelas amizades e amores de um homem solitário. E de novo o jargão: um homem que poderia ser qualquer um de nós, preso à rotina e com medo de viver. Francesc Miralles, o autor, mostrou sensibilidade e inteligência ao lidar com o tema da solidão e das pequenas atitudes que mudam uma vida, interferindo no todo universal.

Samuel é um professor de filologia alemã, impregnado de rotina e de comodismo. Assentado na sua vida medíocre, nem percebe o que ocorre a sua volta. Até que um gato aparece a sua porta e ele resolve acolhê-lo, não por afinidade animal, mas por praticidade, já que estamos na época de festas de fim de ano, e serviço de proteção aos animais está fechado. O gato logo ganha a simpatia do novo dono e provoca os mais estranhos acontecimentos na vida de Samuel. Por causa do gato, ele se vê conhecendo o vizinho, a veterinária, e outros mais. Entra em contato com um mundo de acontecimentos e sensações que remetem a sua infância e a seus sentimentos há muito esquecidos. Os projetos de Samuel agora estão cheios de outras pessoas, mudando tudo que ele julgava seguro e certo em sua vida. Sua solidão se torna muito agitada, e a vida dos outros agora passa a ser a sua vida também. Nesse frenesi de novidades, Samuel reencontra a primeira garota de sua infância, e o destino o desafia a buscar esse amor.

A narrativa é permeada de curiosidades literárias, musicais, físicas e cinematográficas. O narrador, que é o próprio professor, tem a maravilhosa mania de se referir sempre aos seus escritores favoritos e a episódios curiosos do mundo cultural. Os personagens cativantes sempre têm algo de interessante a acrescentar, e o livro se torna um emaranhado delicioso de fatos, poesias, conselhos, reflexões, tudo em torno da nova vida de Samuel, povoada por esses seres fantásticos trazidos por Mishima, o gato. Cada capítulo é ímpar em sua escrita e em seus diálogos. A magia do livro está na magia da vida e dos pequenos gestos, o amor em minúscula.

Para quem gosta de leituras delicadas, recomendo!

Trechos:

Samuel não gosta de encontrar a irmã, mas precisa jantar com ela e o marido, e Titus o aconselha:

" - O contrário é o conveniente. Sempre que você sentir raiva de alguém, aplique esta máxima. Trata-se de fazer exatamente o contrário do que o seu corpo está pedindo. Acredite em mim: produz milagres."

"Voltei a repassar os elos do amor em minúscula que haviam desembocado em minha aloucada esperança: prato de leite> gato> Titus> via férrea (curva) > Gabriela> terraço> Valdemar> Schubert> Mendelssohn> Gabriela> Titus (exploração)> terraço > Valdemar> Mendelssohn (dois gondoleiros)> Gabriela..."

"Desde a chegada de Mishima, minha vida ficara repleta de companhias heterogêneas: o velho, Valdemar, agora Meritxell. Todos eles pareciam precisar de alguma coisa de mim. O gato queria um dono. Titus, um redator que o substituísse. Valdemar, um esconderijo para seus medos e suas conversas do meio da noite. No caso da veterinária, supus que só procurava um pouco de amizade."


A Lili comentou lindamente este livro em seu blog, abaixo um trecho.

"Tive uma agradável surpresa com esse livro. Com uma leitura simplesmente tocante que enfatiza os sentimentos de amor e amizade, o autor desenvolve de forma romântica e até filosófica uma verdadeira lição de vida.Filólogo e escritor, o catalão Francesc Miralles constrói em Amor em Minúscula uma fábula sutil sobre oportunidades perdidas e novas chances. Entendemos que por um detalhe, com apenas um pequeno ato de bondade _ "um amor em minúscula", pode atribuir de forma radical a transformação de uma vida. É o que acontece com o protagonista Samuel que vivia fechado na solidão de seu apartamento, do qual só saia para dar aulas. Mas neste mundo isolado que construiu para sí, começa a desabar no dia em que um gato aparece à sua porta. Na tentativa de achar o seu verdadeiro dono, Samuel faz contato pela primeira vez com seus vizinhos, formando assim um novo elo de amizades, desencadeando-o em muitas aventuras e mudanças, que o fará retonar a uma vida completamente diferente onde até mesmo reencontrará o seu verdadeiro amor.Apresentando de forma singela, sem pretensões, um texto simples que nos faz refletir e ver que nosso futuro depende de estímulos, de mínimos atos, como o de alimentar um gato... E o quanto é importante agir, usufruir de nosso livre-arbítrio ao verdadeiro sentido da vida."

4 comentários:

Liliane Cristine disse...

Oi Aline, adorei o seu comentário!! Obrigada por compartilhar e da oportunidade em me fazer relembrar esse maravilhoso livro...

Beijossss
Lili

Driza disse...

Oi Aline, muito bom seu comentário, além do que estou admirada com a rapidez e quantidade de livros que vc lê. Parabéns pela dedicação dispensada à literatura.
bj
Driza

Aline disse...

OI, Meninas,

Obrigada pelos elogios... Quanto à quantidade, quando estou empolgada e afastada do trabalho, leio muito mesmo! Hehehe

Viviane Lima disse...

Quem sabe não tomo vergonha e retiro o meu exemplar que ganhei em abril (!!!) da estante...rsrs

Valeu, Aline, o comentário do livro!!!

Beijos

Postar um comentário

Muito legal ter você aqui no nosso Chá das Cinco!
Quer deixar um recadinho, comentário, sugestão?
Faça valer a sua opinião! Seja educado(a). Gentileza aqui sempre tem vez. Portanto, mensagens ofensivas não serão publicadas.

 
UM LIVRO NO CHÁ DAS CINCO © 2010 | Designed by Chica Blogger. Personalized by Lili and Medéia| Back to top