Uma estranha simetria - Audrey Niffenegger

"Depois de uma elogiada estréia literária, Audrey Niffenegger escreve em seu segundo romance sobre a relação entre irmãos gêmeos. A história de Uma estranha simetria, gira em torno da morte de Elspeth Noblin, que transforma-se em um fantasma. "Elspeth se torna um fantasma porque, ao morrer, ela se recusa a ir embora. É essencialmente a sua própria vontade que a mantém aqui. O que eu deixo um pouco no ar é o quão sincera ela está sendo. Ao longo do livro é a sua extrema força de vontade que faz tudo acontecer", explica a autora.
Quando Edie, a irmã gêmea de Elspeth, recebe a notícia de sua morte, vem junto uma surpresa: ela deixou para as sobrinhas o seu apartamento com vista para o imponente cemitério Highgate, em Londres - com a condição de que as duas vivam lá por um ano. Quanto a Edie e seu marido, Jack, o testamento estipula que não podem acompanhar as meninas na mudança nem entrar no apartamento.
"Querida E, eu te disse que avisaria... então lá vai... adeus. Tento imaginar como seria se fosse com você... mas é impossível imaginar um mundo sem você, mesmo depois de termos passado tanto tempo separadas. Não deixei nada para você. Você recebeu a minha vida. É o bastante. Em vez disso, estou fazendo uma experiência... deixei tudo para as gêmeas. Espero que elas apreciem. Não se preocupe, tudo vai ficar bem. Diga adeus ao Jack por mim. Com amor, apesar de tudo, E".
As gêmeas Julia e Valentina, de 20 anos, têm uma forte conexão, como se espera de irmãs condicionadas à presença uma da outra desde o útero. Situação muito diferente da que vivia sua mãe e sua tia, Elspeth: não se viam há 21 anos, e viviam a um oceano de distância. As meninas nunca tinham estado em Londres. Nunca haviam saído dos Estados Unidos. Londres era a terra de sua mãe, mas Edie e Jack raramente falavam sobre o assunto. Agora, Edie era americana - tinha se tornado nativa, ou quase isso. A família Poole morava em um subúrbio de Chicago que fingiu, em seus primórdios, ser uma aldeia inglesa.
Mas a descoberta de que estava prestes a morrer, faz com que Elspeth quisesse se aproximar de suas sobrinhas. As razões da tia, desvendadas pouco a pouco, são inusitadas e inesperadas. Em uma carta endereçada as gêmeas, ela revela: "Eu esperava conhecê-las algum dia, mas isso não vai acontecer. Talvez vocês estejam se perguntando por que estou deixando todos os meus badulaques para vocês e não para a sua mãe. A melhor explicação que posso dar é que me sinto bastante esperançosa em relação às duas. Fico curiosa em saber que proveito poderão tirar da situação." E assim, Julia e Valentina, segunda geração de gêmeas da família Poole, partem rumo a uma experiência transformadora."

Audrey Niffenegger é uma artista das palavras. E seu estilo é arte moderna. Nesse livro, fiel à conhecida forma de desafiar os conceitos de tempo e espaço, ela cria um conto fantástico sobre vida e morte. De intensa carga sobrenatural, a história é excêntrica, original, e diferente de tudo que eu já li.

As gêmeas Julia e Valentina herdam um apartamento da desconhecida tia Elspeth, gêmea da mãe delas, Edie. Intrigadas pela história dessa tia que não conhecem, as duas jovens resolvem aceitar a herança e suas condições. Mudam-se para Londres para viver um ano nesse imóvel misterioso, sem saber que vão contar com a presença do fantasma de tia Elspeth. O prédio todo tem habitantes estranhos e fica ao lado de um cemitério particular. Todos ficam fascinados pelas gêmeas e sua semelhança incrível. Mudanças vão acontecer na vida deles com a chegada dessas jovens tão especiais.

Apesar de serem gêmeas espelhadas, muito iguais, as meninas têm personalidades muito diferentes. Julia é controladora, esperta, ativa e destemida. Valentina é doce, meiga e calada. Para elas, a vida não faz sentido se uma não está com a outra. Fazem tudo em conjunto e não têm segredos. A nova experiência vai criar numa delas a ânsia de mudar tudo, de ser independente.

E não dá para contar mais. Só posso dizer que o livro tem fantasmas, tem romance, tem suspense e tem personagens inesquecíveis. Apaixonei-me pela história de Martin e de sua Marijke. Fiquei cativada pela doce Valentina e sua Gatinha da Morte. Irritei-me com Julia e suas ideias. E, mais que tudo isso, surpreendi-me com o desenrolar da história, que segue por caminhos inimagináveis. Esse é um livro do tipo "só lendo para saber".

14 comentários:

Medéia disse...

Eu quero, eu quero...
Adorei a resenha!!

Elisandra disse...

Nossa adorei sua resenha ficou muito bem elaborada, o que só faz com que eu queira desesperadamente ler esse livro......assim vou a falência..rsrs...beijokas elis!!!!!!!

Evelyn Chen disse...

Adorei a resenha, quero ter a oportunidade de ler esse livro.^^

Adriana disse...

Esse livro é um dos meus desejados, a história é bem legal, cheia de mistérios, eu adorei a resenha, só aumentou a minha curiosidade sobre o livro! Bjo!

Leninha - sempre romantica disse...

Aguardando o meu chegar, super ansiosa e nada!
Se ansiedade pré recebimento de livro matasse, Leninha tava mortinha já!
kkkk

Jeanne Rodrigues disse...

Aline,

Preciso comentar que vou ler esse livro? Não ne?

Adorei sua resenha.

Bjos,

Driza disse...

Ai Aline,

e agora, após ler sua resenha, o que faço com essa louca vontade que me deu de ler esse livro. Parece mesmo maravilhoso!!

Eu quero!

bjss

Driza

Fábrica dos Convites disse...

Este liro realmente parece muito bom, já passou para minha lista. Bjs, Rose:D

Juliana Vianna disse...

Antes de tudo: amei a sua resenha! Nossa, eu já havia lido algumas desse livro, mas achava meio confusa a maioria, e eu não entrava nem nas promoções que encontrava. Já a sua realmente me deixou com vontade de ler o livro. Ele finalmente vai entrar na lista, rs. :D

Beijos, Ju

Leninha - sempre romantica disse...

Tenho que confessar, comeceu a ler e tive que parar!
Dei um tempo na leitura, acho que o livro me pegou num momento onde a morte não era um tema que estava afim de ler.
Ainda essa semana darei mais uma chance a ele, tomara que eu consiga ler!

Vivi disse...

Acho que esse não é para mim, não. Vou me contentar com A mulher do viajante do tempo mesmo...rs Bela resenha!

Lili disse...

Eu adoro essa temática Aline, como vc bem sabe!
Sublinhos as palavras da Medéia:

Eu quero, eu quero! rs

Beijos
Lili

Patricia Cardoso disse...

Olá Aline,

enfim, li esta semana Estranha Simetria, e como você disse só lendo pra saber. Que loucura de livro, quando acabei a leitura fiquei alguns dias remoendo toda a história, e isso pra mim, é sinal que o livro me marcou. Passei por aqui pra agradecer pela dica. Bjs...

Driza disse...

Aline,

li o livro. Nossa, que história arrebatadora. Sua resenha está perfeita e jamais eu conseguiria expressar melhor.

Livro maravilhoso e recomendadíssimo.

bjsss

Driza

Postar um comentário

Muito legal ter você aqui no nosso Chá das Cinco!
Quer deixar um recadinho, comentário, sugestão?
Faça valer a sua opinião! Seja educado(a). Gentileza aqui sempre tem vez. Portanto, mensagens ofensivas não serão publicadas.

 
UM LIVRO NO CHÁ DAS CINCO © 2010 | Designed by Chica Blogger. Personalized by Lili and Medéia| Back to top