Frankenstein, Cidade das Trevas - Dean Koontz


Dean Koontz consegue a façanha de oferecer um segundo volume ainda mais envolvente e eletrizante que o primeiro livro.

O projeto louco de Victor Hélios, outrora conhecido como Dr. Frankenstein, parece não ter limites. Os membros de sua nova raca são mais fortes, a saúde deles é melhor e seu pensamento é mais rápido do que qualquer ser humano já criado, mas eles estão fora de controle. Nem mesmo Hélios pode deter os assassinos que ele construiu e colocou à solta espalhando o terror por Nova Orleans. Os únicos que poderão ajudar a deter as criaturas serão os detetives Carson O'Connor e Michael Maddison e a criatura gigantesca e desfigurada, Deucalião, fruto da primeira experiência de Victor. Entretanto, enquanto os três correm para desvendar a verdadeira dimensão de uma conspiração antíquissima, descobrirão que os novos e aprimorados modelos de Victor se infiltraram em todos os níveis da sociedade da cidade... e muito além.


Nesse segundo volume, temos novamente a maestria de Dean Koontz para contar uma história fantástica onde o horror e a poesia e o humor caminham juntos para deslumbrar o leitor!

Toda a ação se passa em um dia – um longo e bem vivido dia – e, a cada capítulo, vemos a tensão ir crescendo e os fatos se juntando para formar o grande quadro. Novos personagens surgem para se unir ao nossos já queridos e conhecidos do livro anterior: Carson, Michael, Deucalião, Randal 6, Érica e, claro, Victor. E o terror nesse volume é bem mais intenso também. Os novos personagens são mais algumas criações de Victor: o pessoal que cuida do aterro sanitário para onde são enviados os corpos dos membros da Velha Raça (os humanos) substituidos por réplicas e os membros da Nova Raça que apresentaram defeitos e/ou foram experiências mal sucedidas. Vamos vendo que Hélios realmente vem se empenhando em seu plano de dominar o mundo.

Carson e Michael ainda estão naquela de não confessarem abertamente o que sentem um pelo outro – uma medida muito sábia, mas que me irrita muito, afinal adoro um bom romance! Mas, com tudo o que vem acontecendo, sentimentos são a última coisa na mente e na lista deles! Em primeiro lugar devem lutar pela própria vida e segurança, pois não sabem em quem confiar, visto perceberem as trocas que Victor vem fazendo e não saberem até que posto os replicantes estão na polícia e política e outros setores da sociedade.

Mas Victor também vem enfrentando problemas. Suas criações não são tão perfeitas quanto ele julga – e ele começa a perceber tal fato. E esse é um problema que o deixa irritado e furioso e Érica 5 é quem sofre as consequências. Vamos percebendo que nem tudo é tão perfeito quanto Victor julga e isso é muito interessante de se acompanhar na narrativa.

Dean Koontz trata esses fatores de forma simples, mas o leitor vai percebendo a complexidade do universo criado por ele e o terror que se esconde por trás da beleza das palavras e das ações dos personagens.

Deucalião continua a crescer e a se mostrar um homem dominado por emoções e sentimentos complexos. Estou cada vez mais interessada nele e no que ele transmite. Randal 6 também é um personagem apaixonante! Não conseguia me decidir entre adorá-lo, temê-lo, odiá-lo ou sentir pena dele. Um personagem verdadeiramente complexo e que não deixa o leitor indiferente a ele.

Vou terminar com frases que mostram bem o que quero dizer com linguagem póetica (mesmo para descrever algo terrível):

"A ação no beco não havia diminuído a fúria de Deucalião. Quando estava em pleno controle de si mesmo, sua mente era uma mansão centenária mobiliada com experiências suntuosas, pensamentos elegantes e reflexões filosóficas. Agora, entretanto, ela era um sepulcro com muitas salas ensanguentadas e frias com sede de morte." (pág 14)

Um outro trecho revela a beleza e sutileza do humor:

"A respiração dele não cheirava a álcool. Lulana estava pouco inclinada a pensar que ele poderia ter inalado alguma coisa menos íntegra do que o doce ar de Deus, mas se o reverendo gostasse de cocaina, ela supunha que era melhor descobrir isso agora do que depois que os dentes de Esther estivessem consertados e a paquera começasse." (pág 245)

Não é mesmo uma beleza? E o livro traz muito mais desses momentos… Uma série altamente recomendável para quem gosta de suspense e policial e terror.

10 comentários:

Livro no chá disse...

Olá Rê,

esta semana li O Filho Pródigo, primeiro volume, e fiquei fascinada como sempre, com a imaginação e criatividade do Dean Koontz, todos os livros que li dele, são primorosos, então já garanti a leitorua deste livro, e com a sua resenha então estou ainda mais ansiosa pela chegada do livro que comprei imediatamente depois que acabei o primeiro. Beijos...

Evelyn Chen disse...

Não cheguei a ler o primeiro volume, mas pela resenha do segundo parecer ser muito bom. Fico imaginando o criador que provavelmente se sente muito poderoso no começo acaba vendo o quanto suas obras foram falhas e tem de lidar com elas.
Parabéns pela resenha.
Bju1

Juliana Vianna disse...

Menina, li essa resenha e não aguentei, fui ler a do primeiro livro da série. rs Já pode imaginar como estou agora, né? No topo da curiosidade! haha Preciso ir atrás desses livros! ^^

Amei as resenhas, aliás! Ficaram muito boas!

Beijos, Ju

Adriana disse...

Rê! Que livro hein!?! Parece ótimo e eletrizante....parabéns pela resenha!

Leninha - sempre romantica disse...

Nossa,que incrível!
Eletizante!
Adorei a resenha, esse é daqueles que vc não para de ler enquanto não chega na última página não é?
Anotada a dica!

Elisandra disse...

Nossa que resenha, que vontade de ler o livro, suspense policial e terror é tudo que adoro.....e depois dessas palavras vou já colocar a serie para minha lista infinita de compras....kkkk.;...beijokas elis!!!!!!

Débora Lauton disse...

Adorei a dica, parece ser uma série bem legal... agora decididamente não dá pra gente ir a Nova Orleans, é um tal de vampiros, demônios, caçadores e agora tem uma nova raça?? que medo desse lugar...

beijos,
Dé...

Alinne Lopez disse...

Confesso que ainda não tinha lido a resenha do primeiro livro,por isso depois de ler esta e a do primeiro fiquei muito curiosa...Pois amo livros sobrenaturais e este parece que promete ser ótimo. =)

Driza disse...

Rê,

dica muito boa, eu sou chegada nesse tipo de leitura. tá pra mim

bjsss

leila disse...

Oiii! Primeiro, queria parabenizar as pessoas (ou pessoa) por trás desse blog é bem interessante e gostei muito das resenhas. Segundo, DEAN KOONTZ é ótimo. Não li esse livro mas li outras obras como "Fogo Frio" e "Meia Noite" que são os meus favoritos desse autor. Meia Noite tem digitalizado mas Fogo Frio eu não sei, consegui meu livro depois de anos e num sebo. Vale a pena ler.

Postar um comentário

Muito legal ter você aqui no nosso Chá das Cinco!
Quer deixar um recadinho, comentário, sugestão?
Faça valer a sua opinião! Seja educado(a). Gentileza aqui sempre tem vez. Portanto, mensagens ofensivas não serão publicadas.

 
UM LIVRO NO CHÁ DAS CINCO © 2010 | Designed by Chica Blogger. Personalized by Lili and Medéia| Back to top