Desafio Literário - Março 2010 -



O Retrato de Dorian Gray - Oscar Wilde


"Oscar Wilde, um dos maiores nomes da literatura do século XIX, publicou inicialmente O Retrato de Dorian Gray no periódico norte-americano Lippincott´s Monthly Magazine, em 20 de junho de 1890.

Dorian Gray é um belo e ingênuo rapaz retratado pelo artista Basil Hallward em uma pintura. Mais do que um mero modelo, Dorian Gray torna-se inspiração a Basil em diversas outras obras. Devido ao fato de todo seu íntimo estar exposto em sua obra prima, Basil não divulga a pintura e decide presentear Dorian Gray com o quadro. Com a convivência junto a Lorde Henry Wotton, um cínico e hedonista aristocrata muito amigo de Basil, Dorian Gray é seduzido ao mundo da beleza e dos prazeres imediatos e irresponsáveis, espírito que foi intensificado após, finalmente, conferir seu retrato pronto e apaixonar-se por si mesmo. A partir de então, o aprendiz Dorian Gray supera seu mestre e cada vez mais se entrega à superficialidade e ao egoísmo. O belo rapaz, ao contrário da natureza humana, misteriosamente preserva seus sinais físicos de juventude enquanto os demais envelhecem e sofrem com as marcas da idade. O desfecho da história é surpreendente, cujo segredo está n O Retrato de Dorian Gray. O clássico despertou grande polêmica na Inglaterra vitoriana pelo comportamento indiferente, pelo Esteticismo como principal tema e pela dualidade do personagem principal, hedonista e conservador, que frequenta tranquilamente reuniões da alta sociedade inglesa após cometer inúmeros crimes e assassinatos."

Como seria possuir algo tão raro como a beleza de Dorian Gray? Um lindo jovem, de feições apaixonantes e encantadoras. Dono da nata arrogância dos que sabem ser perfeitos fisicamente. Simplesmente transitando no mundo, a espera de que lhe façam os caprichos só por ser criatura tão especial.

Dorian Gray não refletia muito sobre sua excepcional beleza, até que seus olhos foram abertos, e um mundo de futuros horrores lhe foi desnudado. Alertado sobre a efemeridade de sua graciosa condição física, Dorian, num ato desesperado, implora que seu lindo retrato envelheça no lugar de seu corpo. Submete-se a ser escravo de sua beleza, acreditando dela haver somente benefícios. Magicamente, o seu pedido se realiza. O rapaz dedica-se, então, a contemplar as mudanças do quadro, seguro de que não correria perigos, já que seus pecados e sua idade nunca se revelam na sua aparência, ficam marcados apenas na tela. Mas, a beleza e a juventude eternas acabam sendo um fardo pesado a se carregar. Acontecimentos surpreendem o jovem, que se imaginava imune à tragédia só por se conservar eternamente belo. O espírito dele se corrompe e o mal passa ser a forma de atingir mais facilmente a perfeição.

Oscar Wilde nos relata uma obsessão terrível, analisando as consequências dos atos impensados e da realização de desejos absurdos. O livro é um clássico universal moderno e instigante. Um retrato da futilidade que reinava na sociedade inglesa da época. Poucas mentes pensantes, para o bem e para o mal, ditavam os rumos dos demais. Arrogância, empáfia e egoísmo dominavam as relações humanas. E o prazer deveria ser desfrutado a qualquer preço, mesmo que se pagasse com a vida de alguém. A cada parágrafo o autor nos surpreende com suas ideias, sua narrativa desafiadora. Nas palavras dos personagens, frases célebres de um dos maiores autores da literatura mundial. Ao final da leitura, tive a sensação de frescor da mente, faxina cerebral, pois o drama de Dorian Gray dá o que pensar, mesmo depois do livro lido e guardado na estante.

"Não via indícios de qualquer alteração quando olhava para a pintura em si, e, no entanto, não tinha dúvida alguma de que toda a expressão se modificara. Não se tratava de pura fantasia sua. Aquilo era de uma evidência horrível. Afundou-se numa poltrona, e começou a pensar. De repente, veio-lhe à memória o que havia dito no atelier de Basil Hallward no dia em que o retrato fora acabado. Sim, lembrava-se perfeitamente. Proferira o extravagante desejo de querer ficar sempre jovem e de ser o retrato a envelhecer, de que a sua beleza permanecesse imaculada e que fosse a cara pintada na tela a suportar o peso das suas paixões e dos seus pecados, de que a imagem pintada fosse marcada pelas rugas do sofrer e do pensar e que ele mantivesse toda a delicada frescura e beleza da sua mocidade, de que só então tomara consciência. Ter-se-ia cumprido o seu desejo? Essas coisas eram impossíveis! Só pensar nelas era monstruoso. E, todavia, ali estava, mesmo à sua frente, o retrato com o ricto de crueldade nos lábios.”


PS: O lindo pôster é do filme mais recente sobre a história. No exterior, estreou em 2009. Por aqui, todos os sites que consultei não têm previsão.

Já conhece o Desafio Literário 2010? Clique na figura e veja todos os participantes!


12 comentários:

Nanda disse...

Ei Aline,

Eu ja li este livro e gostei muito. Até acabei de comentar sobre ele também no blog da Larissa (mesma escolha para o desafio).

Dorian é um personagem bem forte e com características marcantes. Eu não lembro mais de tudoo pq li tem muitos anos mas com a resenha deu até para lembrar de boa parte rsrs

bjoo

Débora Lauton disse...

Está aí um livro que tenho a maior vontade de ler...
Adorei a resenha...

beijos,
Dé...

Vivi disse...

Nó, fiquei encantada com esse postêr. Espetacular! Sua resenha instigou-me a ler o livro. Parece-me um livro muito atraente. Adorei a expressão faxina cerebral. Foi essa sensação que experimentei ao ler Ana Karênina. Amei a sua participação.

Beijocas

Kézia Lôbo disse...

ADorie esse capa, da ate vontade ler (claro que quero ver o filme), mas serio depois de tantos elogios ele ja entrou para a lista!!

Laura Schwartz disse...

Eu realmente tenho que ler esse livro. Ótima resenha! Adorei!

Cristine Martin disse...

Ótima resenha, Aline!

Acho que esse livro vai ficar em segundo lugar este mês, depois de Orgulho e Preconceito... aliás, ambos ótimos!

Quanto aos filmes, não sabia que a refilmagem ainda não tinha estreado por aqui, será que é boa? Gostei muito do filme antigo, que tem a Angela Lansbury bem novinha.

Beijos!

Driza disse...

Oi Aline,
taí, adorei a dica e quero muito ler esse livro. Parabéns, sua resenha está ótima.

bjs

Driza

Anônimo disse...

já li, e adorei, estou louca pelo filme, to esperando no cine ou em dvd mas tá difícil, tem um site que dá pra ver online http://baixabsbfilmes.blogspot.com/2010/01/o-retrato-de-dorian-graylegendado.html

Sora Seishin disse...

Esse livro está na minha lista para ler :)

Parabéns pelo blog, está muito bom! Já estou seguindo-o, adoro as dicas!!!

Amaranta Buendía disse...

Adoro Oscar Wilde!

Pâmela P. Ferso disse...

Caramba! QUe lindo o poster! Eu achei que era montagem, mas se é do filme, amei!!! (L)

Sonia H disse...

Olá,
Eu acho que já havia comentado aqui mas não está aparecendo!
Este eu já li e gostei muito!
Parabéns pela resenha!

Postar um comentário

Muito legal ter você aqui no nosso Chá das Cinco!
Quer deixar um recadinho, comentário, sugestão?
Faça valer a sua opinião! Seja educado(a). Gentileza aqui sempre tem vez. Portanto, mensagens ofensivas não serão publicadas.

 
UM LIVRO NO CHÁ DAS CINCO © 2010 | Designed by Chica Blogger. Personalized by Lili and Medéia| Back to top