Covet de J.R.Ward

Redenção não é uma palavra com a qual Jim Heron esteja muito familiarizado – sua especialidade é vingança, e, para ele, pecado é algo muito relativo. Mas tudo muda quando ele se torna um anjo caído e é encarregado de salvar as almas de sete pessoas dos sete pecados mortais. E falhar não é uma opção.

Vin diPietro se entregou completamente aos negócios – até que o destino intervém na forma de um salvador auto-proclamado e de fala grossa e pilotando uma Harley; e uma mulher que o faz questionar seu destino. Com um antigo mal pronto a possuí-lo, Vin tem de trabalhar com um anjo caído não apenas para conquistar sua amada…mas para salvar a própria alma.

J.R. Ward é uma autora de quem sou fã de carteirinha! Mas quando ela comunicou que ia começar uma nova série confesso que não gostei. Os livros da Irmandade já saem um por ano, com duas séries, quanto tempo levariam? Mas devo dizer que ela, como sempre, me surpreendeu agradavelmente!

Covet é um livro bem diferente – ainda se vê o estilo dela: o bom humor, o jogo de palavras – mas os mundos (anjos e adagas) são completamente opostos, apesar de se encontrarem. E esse encontro é sempre inesperado e bem vindo!

Jim está trabalhando como carpinteiro na construção de uma mansão – que é de Vin diPietro – e conta com a amizade de Eddie Blackhawke e Adrian Vogel. Uma amizade que está nascendo e que não conta com muita confiança, ainda. Um acidente na obra faz com que ele acabe chegando ao paraíso – ou próximo a ele – e entre em contato com 4 anjos. Esses anjos são muito engraçados – e ingleses. Nesse encontro ele recebe sua nova missão: salvar as almas de sete pessoas. E ele foi escolhido por ambos os lados – bem e mal – por ter ambas as tendências dentro de si.

Jim volta e percebe que sua primeira alma é a de Vin diPietro! Vin é um homem riquíssimo, que se fez por si mesmo e vive para ganhar dinheiro e obter luxo. Ele vive em um duplex no Commodore (quem conhece os Adagas sabe que dois personagens tem coberturas nesse mesmo prédio) e agora está construindo uma casa enorme às margens do Rio Hudson. Vin me lembrou um pouco o Clayton (Whytney, meu amor!). Ambos são altos, olhos cinzas, cabelos negros, lindos e ricos. Jim tem de ajudá-lo à decidir o melhor para si, pois Vin encontra-se numa encruzilhada. Mas qual é essa encruzilhada e como Jim pode ajudar?

Na tentativa de ajudar Vin, Jim o leva ao Iron Mask – um clube que quem é fã dos livros da Adaga também conhece muito bem! Lá Vin encontra Marie-Terese.

Marie-Terese é uma prostituta. No livro Lover Avenged ela é retratada como uma espécie de líder das meninas que trabalhavam no ZeroSum. E tem uma cena em LAv que mostrou bem o caráter dela (virei fã da menina por isso!). Agora ela é a mocinha em Covet e vemos o quanto ela sofre por essa escolha de profissão. Mas como está fugindo do ex-marido e tem um filho para criar, ela se sujeita a isso para poder quitar as dívidas e seguir escondida.

O encontro de Vin e Marie-Terese é mágico! E o relacionamento que surge daí faz os dois superarem traumas, conflitos e lutarem para poder serem felizes. E quando digo lutar, é isso mesmo a que me refiro!

Esse é um livro que com certeza vou reler! Vin e Marie-Terese formam um casal muito especial e, juntamente com os anjos caídos e Dog, revelam uma história de redenção, amor, superação. E agora J.R. me viciou em duas séries e já não bastava esperar chegar Abril/2010 (Lover Mine) vou ter de aguardar por Crave também…

10 comentários:

Jeanne Rodrigues disse...

Rê,

Precisa dizer que eu quero ???

Mais uma série da JR... viciante...

Colocando na lista de leituras...

Bjos,

Driza disse...

Oi Rê,

um casal muito especial é tudo numa história né, cativação total sem dúvida alguma.

bjs

Driza

Anônimo disse...

Regina que maravilha de post; estou na expectativa para ler esse livro.
Com certeza J.R.Ward fez outro trabalho lindo!!
Beijos
0:-) Angélica

Dani disse...

Oi Regina...
Já recebi meu livrinho pela Cultura, estou guardando ele pro feriadão do próximo final de semana... Fiquei chocada com algumas avaliações ruins deste livro feitas pelos leitores na Amazon, mas não adianta, tem gente que é sempre do contra... Já tô com água na boca...
Dani

karyne disse...

Rê!!
Certas coisas temos que ler resando..risos....
ou resar antes de ler?

Será que vou deixar meus guerreiros de lado?
Outro universo da amada J.R!!

Deus Eu quero mais...........
seu post sempre esta em 1° lugar...
amiga eu te adoro.
bjs
karyne

Lilian disse...

Eu estou com um dela pra ler em inglês (A Troca - The Switch) e estou esperando o momento certo de ler.
Já li um dos românticos dela e gostei muito. Bem hot!

Esse Álibi está na minha lista de desejados!

Dani disse...

Oi Regina,
Acabei de ler o livro tem 30 minutos...Não preciso nem falar que já estou sentindo os efeitos da síndrome de abstinência né? JR Ward é uma escritora com um estilo tão próprio que se me dessem algo dela para ler e adivinhar quem escreveu eu acertaria de primeira. Então... Covet tem todas as marcas próprias da autora, adorei achar as pequenas frases divertidas ou sarcásticas espalhadas no livro e que fazem a gente sorrir sempre. Enfim... Está tudo lá para os fãs se deliciarem. Pq muitos não gostaram? Não faço idéia. Talvez esperassem que ela fosse como outras autoras que reescrevem sempre os mesmo livros com detalhes e nomes diferentes. Mas não, é um história totalmente nova, em um mundo novo, com tudo novo. E JR Ward é uma excelente contadora de histórias. Amei! Tudo bem, não chorei como costumo chorar lendo os Brothers, mas eu gostei do livro ter um ritmo mais calmo para se ler, a gente não sente aquele desespero de acabar logo, e consegue ir saboreando melhor. O que mais gostei? A presença marcante do Dog, e como o Jim abriu o coração pra ele. =). Obs: A dedicação do livro ao Theo partiu meu coração, mas saber que ela sente tão fundo as questões caninas me fez ser uma fã ainda mais ardorosa. Também recomendo...
Dani

Regina disse...

Oi Dani

Gostei do que você falou! Realmente o estilo de J.R. está lá, mas a história é completamente nova e diferente! Ao contrário de vc, derrubei lágrimas em algumas passagens - principalmente com o desespero de Marie-Terese e o carinho que ela encontrava em Trez!

Esse é um livro que pretendo reler no futuro - nas releituras sempre descobrimos coisas novas!

bjs

Vivi disse...

Regina!!!! E Eu que ainda estou tentando avançar na Adaga Negra, então? Por enquanto vou fazer de conta que essa série não existe...assim não dou conta de sair dos escombros das pilhas de livros caídas sobre mim....hehehe

Beijos

Anônimo disse...

Oi Regina, eu virei fã da J.R e seus romances, já li os diposniveis da Irmandade na espectativa dos proximo. Agora estou louca pra ler Covet, culpa do seu otimo resumo. Rsrsrs.

Bjin

Anne.

Postar um comentário

Muito legal ter você aqui no nosso Chá das Cinco!
Quer deixar um recadinho, comentário, sugestão?
Faça valer a sua opinião! Seja educado(a). Gentileza aqui sempre tem vez. Portanto, mensagens ofensivas não serão publicadas.

 
UM LIVRO NO CHÁ DAS CINCO © 2010 | Designed by Chica Blogger. Personalized by Lili and Medéia| Back to top