Férias – Marian Keyes

Rachel Walsh tem 27 anos e a grande mágoa de calçar 40. Ela namora Luke Costello, um homem que usa calças de couro justas. E é amiga - pode-se mesmo dizer muy amiga - de drogas. Até que a sua vida vai para o Claustro - a versão irlandesa da Clínica Betty Ford. Ela fica uma fera. Afinal, não é magra o bastante para ser uma toxicômana, certo? Mas, olhando para o lado positivo das coisas, esses centros de reabilitação são cheios de banheiras de hidromassagem, academia e artistas semifissurados (ao menos ela assim ouviu dizer). De mais a mais, bem que já está mesmo na hora de tirar umas feriazinhas. Rachel encontra mais homens de meia-idade usando suéteres marrons e sessões de terapia em grupo do que poderia supor a sua vã filosofia. E o pior é que parecem esperar que ela entre no esquema! Mas quem quer abrir as janelas da alma, quando a vista está longe de ser espetacular? Cheia de dor-de-cotovelo (o nome do cotovelo é Luke), ela busca salvação em Chris, um Homem com um Passado. Um homem que pode dar mais trabalho do que vale... Rachel é levada da dependência química para o terreno desconhecido da maturidade, passando por uma ou duas histórias de amor, neste romance que é, a um tempo, comovente, forte e muito, muito engraçado.

Estreando nas aventuras da irmãs Walsh e nas palavras de Marian Keyes.

Esse livro foi emprestado pela Karlinha a minha filha Dayane. E, eu não pretendia lê-lo tão cedo, já que Melancia faz parte do meu Desafio Literário by RG. Eu não li a sinopse e não sabia do que se tratava a estória. Para minha surpresa nas primeiras páginas a Dayane me informou que não poderia ler esse livro. Ao ser questionada do motivo, ela respondeu: - Mãe, esse livro vai me fazer sofrer !!! A mocinha é viciada !!!

Fui então ler a sinopse e ela me pediu que eu lesse primeiro, e só depois ela iria se aventurar.

Esse livro é bem barra pesada, com uma mocinha atípica, que não serve de exemplo para ninguém.

Rachel Walsh mora em Nova York, é uma toxicômana, completamente dependente e que me fez ter sentimentos contraditórios durante a leitura das mais de 500 páginas. Raiva, pena, medo, muita pena por ela não acordar, muito medo do que ela poderia se transformar, muito receio de ler cada página. Só a vontade de saber se ela conseguiria retomar a uma vida livre das drogas fez com que continuasse a virar as páginas.

Rachel é carente, é complexada e não tem uma família perfeita. Mas em compensação teve o amor de um homem que acreditem, só existe em livros. Nenhum homem real agüentaria conviver com Rachel.

Não é uma leitura agradável. É comovente, polêmico, dramático em alguns momentos, forte e pouco engraçado. O final foi super corrido me deixando com a impressão que faltava alguma coisa. Não satisfez os meus objetivos de leitora. Talvez eu não estivesse num bom momento para ler esse livro. Confesso que esperava mais, muito mais.

12 comentários:

Patricia disse...

Nossa, Jê, que pena que esta leitura foi assim pra vc...
Pois acredita que este é, até agora, o melhor livro da autora pra mim? Simplesmente adorei a história densa, dramática e tocante, contada de uma maneira tão bem humorada, intimista e delicada pela autora. Achei os personagens absolutamente cativantes - especialmente aquele adorável Luke, claro! Ai, ai...
E também eu adoooro um bom drama, com situações de superação e gente perdida tentando se encontrar... E além de tudo, embora eu não tenha escolhido os mesmos caminhos, me identifico mais do que eu gostaria com certas fragilidades emocionais da louca da Rachel! rsrs
Quem sabe se pra vc não foi o caso de livro certo e momento errado? Ou não...
Enfim, bjs e até a próxima aventura literária!

Erica Ferro disse...

Hum...
Eu ainda não li nenhum livro da Mariana, mas tenho Melancia me esperando na gaveta, rs.

Quem sabe leia esse depois.

Mariana Paixão disse...

Esse não é o meu preferido da Keyes, mas também não é o pior... Eu acho incrível como uma pessoa como Rachel pode passar por tanta coisa, e demorar tanto na ingenuidade... Eu achei ótima a história, contada do ponto de vista da Rachel... só achei que deveria ter mais Luke *-* haha Mas é realmente uma história pesada, mas não achei ruim por isso!

Diana Bitten disse...

Estou participando tb do Desafio Literário e nesse mês optei por um livro da Marian Keyes, por nunca ter lido nenhum antes.

Me arrependi amargamente e não gostei nadinha de seu estilo de escrita. Lendo sua resenha eu acho sinceramente que detestaria esse ai tb.

Olha, não sei, mas acho que essa não é uma autora para mim.

Abços.

Dani disse...

É esse livro é pesado, e deve decepcionar muita gente, pq, convenhamos, a capa e toda a proposta do livro é pura propaganda enganosa. Este livro supostamente é do gênero chick lit, e se chama Férias, e tem desenhos coloridinhos e bonitinhos na capa... Imaginem quanta gente não comprou querendo uma leitura leve, açucarada e divertida para ler na praia... Ledo engano... Tudo bem, todos os supostos chick lits da Marian Keys são bem mais profundos que a 1ª impressão que passam, mas esse definitivamente é o mais pesado. Acho que é pq a própria autora sofreu com esse tipo de vícios quando era mais nova... Vai saber. Não desgostei, também não está na minha lista de preferidos. Qdo comprei queria escapismo e esse livro não serve para descansar a sua mente do trabalho e dos problemas.Só posso dizer que não deixem de ler outros livros dela, ela tem maravilhas na sua coleção. Os meus preferidos são Casório e É agora ou Nunca.

Driza disse...

Nossa,
esse é o meu livro preferido da Marian.
Amei, chorei pra caramba e torci demais pela Rachel.
Foi extremo...
E, claro, esse é realmente um livro de multiplas opiniões e todas elas verdadeiras.

bjs JÊ

dani disse...

Oi!
Ainda bem que não li os livros da Marion Keys na ordem que ela escreveu-os.Porque Melancia já não impressionou-me muito e Férias também não foi lá grandes coisas mas a forma como Rachel e Luke se entendem foi linda.
Bjos!

morib disse...

Oi galera, tudo bem!!!
Bom primeiramente gostaria de dizer que devo ser um dos poucos homens que curte esse genero nao eh mesmo???

Pois eh eu adoooro e Férias me surpreendeu muito.

Talvez por conviver ativamente com o problema das drogas na minha familia atraves da minha irma, a historia não me pareceu tão pesada, mas em vista dos outros livros da autora que eu jah li como casório?! por exemplo, ele tem um tema mais fora da realidade de muitas pessoas que o pegam para "distrair a cabeça".

Enfim, a dica é boa, acima de tudo o bom humor de Marian está sempre presente e eu torcia muito por Rachel ao longo do livro, cheguei a pensar (por um segundo ou dois) que Rachel era real, que saltaria das páginas do livro a qualquer momente e ficaria ali sentada na beirada da minha cama, tentando fugir de todos os seus problemas.

Pra terminar, se você está sozinho agora em junho e precisa de uma companhia agradável, leia Férias, pois ele poderá ser uma companhia no mínimo interessante e muito rica de apredizado para uma vida inteira.

Destaque para Judy, que trabalha na clínica onde Rachel é internada.

Gi disse...

Olá...

Esta é a minha primeira visita ao blog. Diga - se de passagem, adorei.
Vai ai meu comentário sobre o livro Férias....
Li todos da Marian, sou apaixonada por ela desde que li Melancia.
De todos os livros dela, este é o meu preferido. Na primeira vez, eu o li interessada na comédia que existe por trás dos livros da Marian...mas na segunda vez, eu o li como uma auto - ajuda disfarçada. Na minha opinião, o melhor livro dela. Entra na mente de uma pessoa totalmente obcecada pelas drogas, em todo mal que ela causa....
Tira também aquele mito que todo roqueiro é viciado em drogas, já que dá para ver como o Luke se aborrece com a namorada viciada...e como se afasta dela. No livro Tem alguém ai, dá para saber como ficou a vida da Rachel...uma mulher totalmente recuperada e dedicada a ajudar os dependentes.
Pessoal, parabéns pelo site. Virei fã de carteirinha!
Gislaine

Caroline disse...

Eu li esse livro e simplesmente adorei. É engraçado e tocante ao mesmo tempo. ótima resenha!! Parabéns pelo blog.

Marcia disse...

Olá, Jeanne!

É a segunda vez que começo a ler esse livro e paro... Eu vejo tantas críticas boas dessa autora, que estava começando a achar que o problema era comigo.
Não sei se é por causa do tema, mas o livro não conseguiu me cativar. Estou até com medo de comprar outro da autora, será que me arrisco?!

Bjs,

Marcia

Jeanne Rodrigues disse...

Márcia,

é uma história barra pesada, mas vale a pena ler.

tenta os outros livros dela pois eu gosto mto da autora.

Bjos,

Postar um comentário

Muito legal ter você aqui no nosso Chá das Cinco!
Quer deixar um recadinho, comentário, sugestão?
Faça valer a sua opinião! Seja educado(a). Gentileza aqui sempre tem vez. Portanto, mensagens ofensivas não serão publicadas.

 
UM LIVRO NO CHÁ DAS CINCO © 2010 | Designed by Chica Blogger. Personalized by Lili and Medéia| Back to top