O Vinhedo - Barbara Delinsky


"Para sua família, Natalie Seebring é uma mulher que preza as aparências. Tem maneiras refinadas, participa de rodas sociais, é uma esposa que sempre apoiou o marido e dirige um bem-sucedido vinhedo. Portanto, quando anuncia sua intenção de casar com um empregado do vinhedo, poucos meses depois da morte do marido de 58 anos, o filho e a filha ficam aturdidos. Diante da desaprovação, Natalie decide escrever suas memórias, pois há muitas coisas que os filhos não sabem sobre sua vida... como o amor pelo vinhedo, a luta que foi para implementá-lo, os sacrifícios pela família. Olívia Jones é uma sonhadora, que vivencia, por intermédio de sua imaginação, as fotos antigas que restaura. Ela e a filha, Tess, não têm mais ninguém na vida. Assim, apegam-se à fantasia de que uma família grande e feliz, em algum lugar, encontra-se à espera delas. Quando Olívia é contratada por Natalie para ajudá-la a escrever suas memórias, um verão no belo vinhedo à beira-mar parece a oportunidade perfeita para realizar tal fantasia... Mas nem tudo é o que parece, como Olívia e Tess descobrem quando chegam a Asquonset, o vinhedo no estado de Rhode Island. Embora acolhedora, Natalie não é do tipo maternal, como logo fica evidente pela hostilidade que os filhos demonstram contra ela... A história de Natalie, destinada a seus próprios filhos, também ajuda Olívia. As vidas dessas duas mulheres de diferentes gerações, mas em muitas coisas tão parecidas, fazem de O Vinhedo uma história poderosa e comovente, a fantasia de uma vida ideal, o relacionamento perfeito... que se choca com a realidade."

Mais um livro de Barbara Delinsky muito emocionante e tocante. Não pude parar de ler a narrativa onde se encontram as histórias de Olivia Jones e Natalie Seebring. Duas mulheres fortes, duas mulheres com trajetórias difíceis em épocas diferentes. As duas se encontram no vinhedo de Natalie, ambas à procura de algo que perderam há muito tempo, o conforto de ter o amor de família.

Natalie é a proprietária do vinhedo Asquonset, na Nova Inglaterra. Aos setenta e seis anos, ela choca os filhos marcando um novo casamento, apenas seis meses depois do falecimento de seu marido. Os filhos se revoltam, e a família não tem a habilidade de se comunicar para resolver o conflito. Ansiosa por contar a sua história de vida, ela contrata Olívia para escrever suas memórias. Vivendo nos tempos da Grande Depressão, Natalie demonstra toda a luta para sobreviver à crise econômica e revela os segredos mais intímos da família Seebring, na esperança de que seus filhos se reaproximem dela e entendam quem ela é realmente e como foi sua vida.

Olívia é uma mãe solteira que trabalha como restauradora de fotos antigas. Seu estúdio restaura fotos de Natalie. Na iminência da aposentadoria de seu patrão e do fechamento do estúdio, ela precisa de outro emprego. E a oferta de Natalie surge para modificar sua vida completamente. A sonhadora Olivia fantasia uma vida perfeita no vinhedo, imaginando a possibilidade de encontrar em Natalie a família que nunca teve. E mais, ela tem certeza de que sua filha Tess, de dez anos, disléxica e com baixa auto-estima, precisa exatamente desse período de férias para se recuperar dos problemas de sua infância. As duas partem rumo a essa aventura cheias de expectativas.

O vinhedo se revela o cenário das mais ricas experiências. Lá estão Simon, o viúvo que precisa se abrir para vida novamente, e seu pai, Carl, o futuro marido de Natalie, e seu amor de toda vida. Em meio à uvas e vinhos, Olívia descobre a importância da família e de fixar raízes, Tess descobre-se uma menina capaz de aprender e Natalie descobre como ser mais flexível e comunicativa com seus filhos. E todos descobrem o grande poder transformador do amor.

8 comentários:

Diana Bitten disse...

Então, parece que vale a pena...

Me lembrou as estórias da Rosemund Pilcher.

Driza disse...

Oi Aline,

esse livro é uma beleza mesmo, um dos melhores com esse cenário (já que existem muitos por aí), e é o meu segundo livro preferido dessa autora.

bjs

Vivi Bastos disse...

Eu nunca li Barbara Delinsky...tenho só um livro dela empilhado aqui em casa. Seu comentário é do tipo vale a pena se arriscar.

Beijos
Vivi
Toltalmente sem tempo para ler qualquer coisa.

Lili disse...

Eu tenho uma certa reserva com essa autora...Talvez ainda não tenha tido sorte =/ Mas o seu comentário me motiva e tentar de novo...
Obrigada!

bjs
Lili

Jeanne Rodrigues disse...

Aline,

Adorei o comentário e já coloquei esse livro na minha lista.

Bjos,

dani disse...

Esse foi o primeiro livro da Barbara Delinsky que li e adorei.
O que mais gostei na história foi o carinho e cuidado da mãe com a filha e a descoberta de que sempre é possível recomeçar.

Miriam Olímpio disse...

Amo os livros da Bárbara, o jeito como narra suas estórias, a linguagem bem compreensível e a capacidade que ela tem de nos envolver? Parece que estamos vivendo a vida dos personagens. Estou tendo o prazer no momento de ler O Vinhedo. Tenho uma boa coleção de livros dela. Semana passada eu li, O Homem de Montana, recomendo, é apaixonante também.

ionara borri disse...

Adoro o jeito que ela escreve... Tres Desejos e impecavel, recomendo!

Postar um comentário

Muito legal ter você aqui no nosso Chá das Cinco!
Quer deixar um recadinho, comentário, sugestão?
Faça valer a sua opinião! Seja educado(a). Gentileza aqui sempre tem vez. Portanto, mensagens ofensivas não serão publicadas.

 
UM LIVRO NO CHÁ DAS CINCO © 2010 | Designed by Chica Blogger. Personalized by Lili and Medéia| Back to top